quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Fé além do “mito”



Céus e infernos já não existem mais, os demônios desistiram dos homens, foram superados pela perversidade da religiosidade humana, os anjos exaustos por esforços improdutivos se retiraram, e aquele que é o retrato pintado de toda pretensão dos homens, suicidou-se, pois era completamente ignorado por seus criadores.

Assim como um aposentado se retira da civilização para criar galinhas e pássaros em sítios no interior, Deus cansado de tamanha burrice de seus adoradores deu corda no sistema solar e saiu de fininho, foi tratar de dragões e dinossauros numa galáxia distante.

Os céus evaporaram, pois sendo fumaça e pensamento dos antigos infelizes nesta vida, não mais seduz os crentes incrédulos nesta terra (ninguém queria ir para lá mesmo). O inferno no seu ódio implacável, sem o combustível das almas que agora só são átomos invisíveis que se dissolvem na poeira estelar, consumiu se a si mesmo de tanta fome e tanta raiva.

Já as letras do grande Livro da humanidade, foram à maioria delas borradas pelos dedos das mãos sujas que ecarniçadamente procuravam textos e contextos para fundamentar suas doutrinas, as outra que sobraram acabaram sendo espalhadas ao vento, pelas baforadas de raiva daqueles que agarrados ao livro davam coices em quem queria investigá-lo.

De agora em diante ninguém mais será chamado de hipócrita, pois extintos os elementos que davam vida e mérito a religião, ninguém se interessara em fazer pose de santo. E nem mais se classificarão pessoas com o rotulo de liberal e libertino, visto que as proibições não produziram nada de bom ate agora, e tudo esta liberado mesmo, ninguém será mais julgado como transgressor.

Se alguém quiser ser justo atualmente, que seja pelo próprio valor da justiça, e se alguém desejar ser puro, já fique bem avisado que deve ser desinteressadamente, por que Deus não quer mais que os homens vejam a sua face. Se ao levar maldosamente a mão para tocar na vida de outro homem, alguém a sentir queimando, que não pense que é o fogo do inferno, mas sim o calor da alma do próximo, porque esta ainda existe. Fora isso, nada sobrou... só o homem e seu irmão.

Assim sendo nunca mais serão escravizadas as consciências das pessoas, pois sem os “mitos” que validam as regras da religião, tudo é neutro de agora em diante. Ninguém mais porá julgo sobre o outro, pois ficou bem claro que sendo todos simplesmente humanos, ninguém tem moral para tal serviço. Que cada um viva agora sua vida e conduta sem temer o espectro do além, que cada um siga seu próprio coração, sabendo que só existe ele aqui na terra e Deus lá bem distante, que por mais longe que esteja não deixa de dar com o canto dos olhos, uma espiadela cá embaixo.

Gresder Sil

5 comentários:

Levi Bronzeado disse...

Prezado Gresder

A “religião”, como um sopro incompreensível e irresistível, atirou para o fosso, os homens, os povos, as plantas e animais, os deuses e demônios.

O “Deus” da religião não é mais bondade. Ele está cheio de aspereza, de retidão selvagem. "Ama" as almas por um instante, para em seguida, esmagá-las sem complacência alguma.

Ele foi transformado em um simples objeto de desejos espúrios, nas mãos dos religiosos.

Que pena!!!

Eduardo Medeiros disse...

Prezado teólogo amador neo-ortodoxo.

O Cristianismo original faliu a muito tempo. Já escrevi isto no meu blog e em comentários em blogs amigos. Mas o pior de tudo, é que o próprio Cristianismo originário (falo aqui do primeiro século AD)também foi, no meu entender, a falência da mensagem original do Cristo, que nunca quiz fundar um "Cristianismo".

Mas até esse Cristianismo "paulino", digamos assim, era algo elevado, com conteúdos metafísicos admiráveis e com uma teologia pensada com a cabeça e vivida com a alma.

Mesmo eu crendo que tal coisa feita por Paulo foi uma deturpação da mensagem original (aliás, Paulo mesmo diz em algum lugar do "seu evangelho"); realmente ele gestou e concebeu um evangelho a partir da sua compreensão do evento de Cristo. De qualquer forma, foi algo elevado o que ele construiu.

Esse pensamento paulino não existe mas na grande maioria das igrejas evangélicas brasileiras. Digamos...não existe em pelo menos 99,999999999% delas.

Isto que aí está, é um Cristianismo deturpado pelo mercado e pela pós Modernidade. Jesus Cristo hoje é vendido como um produto qualquer. Tipo, "compre aqui que é mais barato. Temos camisetas de Jesus, Cds de Jesus, Mochilas de Jesus, agendas de Jesus...Jesus vende tudo e ele próprio é uma mercadoria. Ou estou errado? usando aqui o bordão do Datena rssss

Chega, senão vou escrever um livro onde só deveria escrever um comentário.

O seu texto é profundo. Sincero. Utópico até. Mas o que seria do mundo sem as utopias?

Agora, meu amigo, deixa eu te dar um alfinetada. Não dá prá ser neo-ortodoxo e querer ser a-religioso, visto que a neo-ortodoxia está impreganada de religião Cristã, assim como todas as "teologias" o estão.(não é uma crítica.)

Bem, é so uma opinião que pode estar totalmente equivocada...mas eu, que "estou" batista, que cursei teologia, não consigo dizer que sou de tal escola teológica, visto que respeito a todas e não poderia me opor a nenhuma partindo do pressuposto que a minha seja a verdadeira.

Eu sei que esse relativismo todo é a cara da pós Modernidade rsssssss pois é, quem disse que a dita cuja só tem coisa ruim? Eu creio que em termos "religiosos", temos que ser universalistas, pois ninguém é dono de Deus.

Me dou muito bem com liberais e conservadores fundamentalistas (desde que estes não sejam burros). Tenho amigos que professam ambas "religiões"...pois é, teologias viram religiões na cabeça de quem não pensa além dos seus próprios muros.

Pó, cara, desculpa o tamanho disso aqui, mas é que não é sempre que agente esbarra com blogs tão interessantes como este. E olha que está apenas começando...

Abraços. Espero trocar boas experiências, bons insights,boas virtudes do espírito com todos que por aqui passarem.

Já estou seguindo seu blog. se quiser me visitar estou em
saladopensamento.blogspot.com (coisas inúteis como teologias, filosofias, etc)
olharotempo.blogspot.com (diversidades mais amenas), seja bem vindo.

Agora é sério, acabei. Abraços.

Gresder Sil disse...

Cara, quanto mais a-religioso eu quero ser, mais a questão espiritual do cristianismo me sufoca quanto mais livre de toda lei moral religiosa eu quero estar, mais escravo da lei de Deus escrita no coração, eu estou. Sinto-me dilacerado, não consigo nem ser espiritual e nem pecador.

Não sei se vou dar conta da proposta, mas tenho uns textos aqui no Word, subversivos e eletrizantes. A questão não e ficar totalmente sem ou fora da religião, mas um novo entendimento e uma nova estrutura e linguagens não religiosas. Conforme profetizadas por Dietrich Bonhoffer (teólogo Neo-ortodoxo).

To contigo sou anti-paulino rsrsrs. Paulo assim como todos nos devemos fazer, fez um adequação ao evangelho conforme o contexto em que vivia. Isso não foi errado, errado é achar que ele é o supra-sumo da inspiração escrituristica.( Lei o texto: a releitura do noivo testamento) . Ai ta o ponto, cristianismo a-religioso é o evangelho em seu contesto cultural e histórico, em oposição a uma mentalidade estóica paulina como religiosidade para todas as eras.

Gosto também dos fundamentalistas sinceros (“todo ponto de vista é à vista de um ponto, nos sempre vemos de um ponto, somente Deus tem todos os pontos de vista e tem a vista de todos os pontos.” José Lima) e sei que existe uns inteligentes e intelectuais; um deles é o Isaias Medeiros e a Norma e seus patotinhas rsrsrs.

A gora não da para dialogar com gente que só quer ganhar a disputa, contradizer o outro, desprezar o seu ponto de vista e ficar procurando defeito e contradições em seus comentários, coisa de adolescente sabe!(passa lá no blog da Norma é vê um texto com mais de quarenta comentários que você vai entender) inteligência é uma coisa, agora nobreza de caráter é outra bem diferente.

Já tinha visto o seu blog semana passada, e fiquei feliz em não ser o único maluco, falar em maluco vê às coisas que o Tecelão fala, ele é doido mesmo rsrsrs no bom sentido é claro. Pode deixar que eu vou sempre espiar seu blog, e se tiver oportunidade toco terror também rsrsrs.

Muito, mas muito obrigado mesmo pela visita e comentário.

Eduardo Medeiros disse...

Caro amigo

Seus dilemas espirituais são bem parecidos com os meus. Essa de "não consigo ser espiritual nem pecador" eu conheço bem. Mas sabe qual é? o problema é que sempre quiseram que eu fosse "espiritual" à semelhança "deles"...

A bem da verdade, o meu problema não é com a religião em si. Acho a religião importante, tenho um certo fascínio pelas grandes religiões da humanidade.

Concordo, porém, que a religiosidade xiita e sem amor é a grande desgraça da humanidade. Vide todos os crimes e guerras feitas em nome da religião. Mas isso eu considero como uma corrupção do ideal religioso.

A minha principal crítica à religião cristã a qual faço parte a muitos anos não é contra o Cristianismo enquanto religião, mas sim, o que fizeram hoje do cristianismo. Sou um ferrenho opositor a este nosso cristianismo de mercado e sem qualquer profundida de pensamento e prática.

Mas concordo com a sua expressão "cristianismo a-religioso" no sentido de se ter uma nova compreensão da religião cristã que seja capaz de dizer o que disse de uma forma contextualizada, visto que a forma em que foi dita já não é apropriada para nós hoje. Então concordo em parte com Bultmann e a sua demitologização. O kerigma foi dito em linguagem mitológica. (na verdade, a única possível).

Agora, tendo perdido a ingenuidade de considerar literal o que na Bíblia é descrito mitologicamente, temos que voltar ao mito!!

Contradição? não, o problema é que de Deus não podemos falar nada concretamente nem "cientificamente". Quando pudermos falar de Deus assim, ele estará morto, pois terá se resumido a um objeto verificável empiricamente.

É como disse Bart: a revelação descrita na Bíblia nunca pode ser identica ao objeto revelado em si. Logo, a revelação é condicionada pela história e pela percepção humana.

Vou ler todos os artigos do blog para ter uma visão mais ampla do seu projeto de Cristianismo a-religioso.

Está com receio de publicar os tais textos subversíveis? Pois então te digo: PUBLIQUE. Particularmente, adoro ler textos que subvertem totalmente o que penso e o que creio, pois estes me fazem crescer. Até os textos fundamentalistas da Norma...rssss a patotinha da Norma realmente é dose...rssssssss Aliás, preciso ler mais o blog dela e comentá-lo também.

Vou ficando por aqui esperando sempre textos que me surpreendam.

abraços.

noreda disse...

Você abraçava o deísmo nessa época né? Mas e agora? continua pensando assim?

Se for responder, manda um e-mail.

abraços!

Postar um comentário

.
“todo ponto de vista é à vista de
um ponto, nos sempre vemos de um
ponto, somente Deus tem todos os
pontos de vista e tem a vista de
todos os pontos.”
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...