sábado, 16 de abril de 2011

O desejo como pecado



É tão real que para o cristão ate mesmo o impulso e o desejo sexual já é pecado que somente o homem ao sentir a atração sexual por uma mulher ele já esta pecando. E isso por interpretar uma só passagem bíblica que faz a referência que ao cobiçar uma mulher, o homem já esta pecando. Interpretação errada da passagem que não vê o simples impulso como pecado, mas sim a decisão.

Pois a atração sexual é tão natural como involuntária e mecânica. Todo homem adulto sabe que para se chegar a um adultério tem que se projetar a isso, tem que decidir e investir nisso, não se trata de simples atração sexual, mas de decisão consciente e programada para se chegar ao objetivo do desejo com êxito. É disso que se trata a passagem: da decisão racional para o adultério.

Com base em uma interpretação errada, toda uma moralidade equivocada se constrói no incomnciete coletivo da cristandade desde o seu começo ate a modernidade. Pois pensando que o impulso e atração sexual em si, já e pecado, já se tem primeiro uma visão moral de um instinto nato que não tem pecaminosidade nem uma em sua atuação, antes sim um mecanismo natural.

Ao ver pecado no desejo sexual, é impossível que se entenda perfeitamente o que realmente é errado nas relações humanas que envolvem a sexualidade e suas conseqüências. Pois parte já do começo de um principio doentio, que só pode produzir uma moral doente. Que não percebe o simples ensinamento do conceito bíblico que enxerga pecado não no sexo, mas na decisão para uma relação que não produz bem, pois o erro é satisfazer tal desejo neste contesto.


Esdras Gregório


Escrito em 16/04/11

Texto sete da serie sexualidade a-religiosa


5 comentários:

Lucas Stefano disse...

Bela interpretação. Me ajudou a perceber que estou vivendo num mundo religiosamente hipócrita e sem noção. A , estou de link nobvo pro meu blog, me segue lá


http://podefucar.blogspot.com/

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Estou de acordo!

Quando o Sermão da Montanha diz que, se um homem olha "para uma mulher com intensão impura, no coração, já adulterou com ela" (Mt 5.27; ARA), certamente que não se trata do desejo natural pelo sexo, mas da questão motivacional. Jesus não falou sobre ser pecado você olhar para uma mulher casada tendo atração por ela, mas sim alimentar aquela cobiça que é desarmoniosa. É como se o gesto facial dos olhos já estivesse expressando talvez um convite para levar uma mulher casada pra cama.

Deve-se considerar que o Sermão do Monte não veio impor novos mandamentos, mas foi uma reflexão feita por Jesus sobre as motivações de cada atitude (do adultério, do homicídio, da oração, do jejum e da caridade), deixando também implícita a impossibilidade de cumprirmos fielmente a Torah e, assim, nos socorrermos através da misericórdia divina.

Infelizmente, o cristianismo deturpou não só este versículo que referenciei acima, como também a noção de pecado e de cumprimento dos mandamentos. Aliás, o cristianismo acabou imprimindo uma noção individualizada do pecado que passou a ser visto como algo restrito sa determinadas condutas (muitas delas relacionadas ao sexo), mas alienou-se quanto à responsabilidade coletiva de um povo que é uma noção quase inexistente na nossa cultura ocidental.

***Adriana Rocha*** disse...

Sabe o que eu gostaria de saber, como os irmão fazem pra lutar contra isso? Se chicoteiam e depois tomam banho com sal? kkk

Rafael Milani disse...

Belo texto Esdras, fonte de inspiração, abraço!

Anônimo disse...

Oração e força de vontade. Mas acima de tudo, a oração.

Postar um comentário

.
“todo ponto de vista é à vista de
um ponto, nos sempre vemos de um
ponto, somente Deus tem todos os
pontos de vista e tem a vista de
todos os pontos.”
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...