sexta-feira, 12 de novembro de 2010

As mãos de Deus


Em estações outonais de nossas almas e dias sem fé e de e seco ceticismo olharmos para os céus do nosso espaço sideral imenso e infimamente explorado e conhecido, e pensamos “estamos sozinhos no universo?”, “existe um Deus a nos olhar pelo menos?” “existe outros seres que compartilham conosco a vida e a consciência?”. E se estamos sós ou inacessíveis pela distância? O que seria de nossas vidas agora, qual Palavra, direção ou exemplo a seguir sem a fé em um Deus que domina sobre todo mundo?

Acaso agora sem a certeza de outra vida e de um juízo sobre nossas vidas nos tornaremos mais egoístas e pecadores ainda? Algum Ser ou alguém se importa conosco e com nossas felicidades e destino. Existe algum Amor ou motivo que possa nos influenciar e mover ao que é bom e evitarmos o mal, pressentindo e chegando a conclusão de que o Bem e o Mau pregado pela religião não existem a não ser como conceitos metafísicos na cabeça dos religiosos.

E então? Agora sem ter a certeza concreta de que tem alguém sobre o universo piora a condição da impiedade humana! Não! Pois agora sem auxílio espiritual a nossa carga aumenta, e mesmo que não seja possível se ser puro e espiritual, é totalmente possível a gente ser verdadeiro honesto e corajoso diante da maldade que nos cerca. Pois se não existe um juízo é nós que temos que fazer a justiça agora. E por não termo uma moral divina a nossa responsabilidade e unidade diante dos nossos semelhantes só aumenta em grau e seriedade.

Mas de fato não estamos sozinhos no universo, pois “Deus” foi um de nós e a melhor coisa é que Ele não é um ser estranho a nós, mas era homem, e um homem totalmente humano e única e exatamente como nós somos em contradição e humanidade. E com homens como Ele, os profetas, os grandes poetas, os humanistas e humanitários e os bons cientistas, estadistas e filósofos da historia, não há por que reclamar da completa inatividade sobrenatural e silêncio de Deus nesta vida, aonde não existe prova nem uma de que Deus tenha falado de forma audível a alguma pessoa ou nação para nós direcionar e julgar no fim do mundo.

E exatamente por não ter, estes tais homens assumiram a responsabilidade de falar em nome deste Deus distante e Desconhecido que nada fala ou dita literalmente ao seu ouvinte e receptor. E o fato de um deles ter “assumido” a identidade de um deus, não significa que o seja. Mas que ousadamente por saber que Deus não tem voz ou face alguma reconhecível, e por não querer ou não ter mãos a estender à humanidade, Ele ergueu a sua voz, e estendeu as suas mãos, fazendo da autoconfiança em seu coração a certeza de que a sua face era a melhor para representar o Deus irrepresentável e incomunicável formado e concebido na sua psique.

Sabendo agora que os olhos, as mãos, e os pés de Deus são os olhos as mãos e os pés destes homens. E sendo eles humanos, sem a magia e sem todo o invólucro sagrado com que foram editadas suas vidas, só nos resta agir como eles e como pessoas adultas a qual por não ter um Deus provedor sempre ajudando, se torna prontamente o coração, a boca, e as mãos de Deus nesta terra. Não deixando que a vida seja vivida desamparadamente sem Deus até que um dia a gente descubra (ou não descubra) que estamos sozinhos ou inacessíveis neste recanto solitário e perdido do universo.

Pois comprovadamente até agora, como seres pessoais conscientes estamos sonsinhos nesta nossa galáxia e a fonte misteriosa de vida a qual chamamos Deus, só atua na e pelas mãos dos homens, o único amor que existe é o nosso, é o que nós sentimos por nossas famílias e amigos, o amor de Deus é o amor humano que os homens sentem um pelo outro (que tem muito mais valor por ser de seres imperfeitos e sofredores). Por isso se o homem não amar o seu próximo, míngüem fora daqui ira Amar, somos a mão de Deus, e ninguém tinha tanta consciência disso como aqueles que se permitiram ser chamados de enviados de Deus, amando por este Deus imaginado, os seus até o fim.

Gresder Sil

escrito em 09/11/10

20 comentários:

Levi Bronzeado disse...

GRESDER

“...Por isso se o homem não amar o seu próximo, míngüem fora daqui irá amar, somos a mão de Deus, e ninguém tinha tanta consciência disso como aqueles que se permitiram ser chamados de enviados de Deus, amando por este Deus imaginado, os seus até o fim”.

Por esse parágrafo, você não acha que o nível da confraria evolui muito nesses últimos dias?

Para constatar o que digo compare os nossos textos de ontem (dois anos atrás) com os de hoje.

SOMOS AS MÃOS DE DEUS — esse tema dava para fazer uma baita poesia(rsrs). Vou tentar. Então lá vai:


“Senhor meu Deus
Esse grito que sai das minhas entranhas
“Não é Teu”.
Inúmeras mãos invisíveis pegam-Te e sacodem-Te
Quando Tu Te exaspera, sou que me exaspero.
És Tu que me pedes para viver a Tua marcha infinita em meu corpo.
Quando estás dormindo
Minha cabeça se enche de espectros
Quando Tu desejas, sou eu que desejo.
Não sou um só! Não sou um só!
Não morras, senão morrerei também!”

(direitos autorais para Gresder e Levi – rsss)

Levi Bronzeado disse...

ERRATA:

Onde está escrito: "sou que me exaspero" LEIA-SE:

"Sou eu que me exaspero".

Marcio Alves disse...

GRESDER

Muito embora nós, seres limitados, finitos e mortais que somos, não temos a capacidade e nem a profundidade necessaria para descobrir de uma vez por todas se deus existe ou não, eu tenho que confessar minha forte e incontrolavel atração pela ideia de que todos nós estamos solitários, abandonados e perdidos neste vasto e incomensuravel “vazio” do universo.

Acho esta ideia sensacional, o que torna nossas vidas ao mesmo tempo insignificantes, como ao mesmo tempo dignas, pois se somos apenas nós, somos então os unicos seres com consciencia de si mesmos, os unicos que conseguiram do “nada” da dura existencial criar um outro mundo a partir do nosso próprio, e dia após dia, estamos constantemente criando significados e sentidos para nossas frageis e fugas existencias.

Se deus existir, acaba esta magia, pois não somos mais apenas nós, vagando perdidos e solitários neste “oceano” de universo.

Eduardo Medeiros disse...

Deus foi a maior invenção da genialidade humana que a questão se confunde: foi DEus quem criou o homem ou foi o homem quem criou Deus? Taí uma pergunta que não quero responder. Não precisa. Nenhuma resposta vai ser convincente para quem tem a certeza da fé de que foi Deus quem criou o homem. Somente aqueles cujas escamas dos olhos espirituais caíram são capazes de vislumbrar um universo sem Deus.

Nada foi tão revolucionário do que a religião para dar uma identidade realmente humana à nossa espécie. O exercício da espiritualidade foi e ainda é a fonte de onde se origina as mais belas e as mais trágicas horas da nossa história.

Nossos antepassados chegariam a ser o que somos se não fosse o exercício de contemplação das forças da natureza e da divinização das mesmas? Haveria a filosofia sem a mitologia e a teologia?

Sinceramente espero que DEus nunca morra. Gosto da ideia e do sentimento que provoca essa palavra: Deus!

Deus é o fio de teseu que nos capacita a fugir do labirinto onde fomos postos à merce da fúria do minotauro.

É o abraço na alma quando estamos perdidos, sem rumo na vida e sem sentido de viver.

Por mim Deus pode continuar a ser o Pai que acolhe o filho perdido em seus conflitos existenciais. Pode continuar sendo o afago na alma quando a embriaguez do ceticismo nos endurece o coração e nos afoga a transcendência.

Não posso deixar de reconheçoer que aprendi muito com Ele e com seus profetas. Não posso desprezar milênios de experiências que resultaram em livros sagrados que hoje fazem parte da cultura humana e que a tantos elevou e humanizou.

Aos que não souberam perceber a face bonita de Deus, eu só tenho a lamentar e a condená-los pelas linhas tortas e pintadas de sangue que eles escreveram através dos tempos.

Mas Deus também é ambiguo. Como seria diferente se somos semelhantes a ele ou sendo ele semelhante a nós? Deus amou, odiou, salvou, matou, fez rir e fez chorar, foi guerreiro e foi herói e por fim descansou na encarnação do Abba Pai.

Ricardo Rocha disse...

Não vou entrar no mérito da nossa responsabilidade do homem com relação ao mundo e aos outros homens. Não questiono esses valores e acho mesmo que temos sim que ser agentes do bem e do bom no mundo.

Tudo o que eu questiono é o seguinte: de onde vem esses valores e porque deveríamos considerá-los absolutos e universais? Porque não é mais racional que o forte domine sobre o fraco, que o inteligente mande no "burro" ou que o esperto passe a perna no distraído? Porque deveríamos lutar pelo bem de outra pessoa se parece muito mais razoável cada um buscar o melhor para si mesmo e se sociabilizar apenas na medida em que essa socialização traga uma vantagem individual?

Afinal de contas, se existe uma natureza humana, porque essa deve colocar o homem em busca do bem e do bom, do belo e do junto e não da maldade, do egoísmo ou da barbárie? Qual é a legitimidade que temos para condenar um ritual religioso em que virgens devem ser mortas para arrefecer a ira de um deus se não existe um valor absoluto que deve valer para todos os povos e tempos?

Se esses valores são absolutos qual é o fundamento de sua absolutização? A verdade? Mas se for a verdade, qual verdade? Não é verdadeiro que existam religiões em que se sacrificam crianças como aquelas que condenam tal prática? Qual seria então a verdade a ser buscada? Seria então o fundamento a racionalidade? Mas que é razão afinal? Não é a bomba atômica um dos pontos mais altos da racionalidade humana?

A questão é, se não há Deus, qual é o fundamento do bom ou do belo? Mais profundo que isso, há afinal um bom e um belo? Se tudo é relativo então todas as barbáries podem ser justificadas...

O cristianismo a-religioso precisa tomar uma decisão sobre de onde vem a moralidade cristã desse cristianismo. Se não o fizer, tudo o que parece é que é um cristianismo que não quer levar sobre si todas as conseqüências que o cristianismo sempre pregou, mas não tem coragem de abandonar o que o cristianismo sempre os ensinou a respeito das relações do homem com o seu próximo. Sem essa tomada de posição nenhum dos valores pregados por esse cristianismo a-religioso faz sentido.

A paz para você.

Gresder Sil disse...

Então estamos quites Levi, pois eu já vou escrever um texto sobre o “clamor ateu” baseado no meu ultimo comentário lá em sua sala rsrs.

Quem amou o povo judeu se não seus profetas e reis e heróis a não ser deus pelo coração e mãos destes homens.

Quem amou a humanidade a não ser deus pelo coração e as mãos de Jesus e os apóstolos.

Quem amou a igreja a não ser os missionários que e pastores simples que deram sua s vida em serviço da obra de deus.

Eu queria que alguém me provasse que alguém se sentiu amado por deus por uma via que não seja a boca o coração e as mãos de que anunciaram o evangelho.

se alguém se sente confortado por deus, é por que leu ou ouviu ou lembrou de ter ouvido e lido o que os homens escreveram de deus.

E a maioria escreveram com amor, amando por deus, se deus existe ou não existe isso é irrelevante, pois o “ Amor de Deus” que realmente é essencial, este existe e muda e inspira vidas sempre!

Gresder Sil disse...

Marcio se deus existir, Ele é muito mais nobre do que nós, e se Ele existir mesmo Ele queria que fosse assim mesmo, Ele desejaria nossa independência e crescimento total, ele não seria egoísta ao ponto de querer nos manter na eternidade em baixo de suas saias.

E se contentaria em nós ver de longe.

Mas neste caso eu estou falando de um deus racional e consciente como nós, o que diminui deus, pois para mim deus para ser Deus ele tem que ser uma espécie de ser semi-concinte e supra pessoal, como uma célula única, uma célula tronco a primeira e básica da qual surgiram todas as outras formas de vida, sendo viva, mas por conter todas as formas conscientes de vida, não tem em si a individualidade, pois personalidade e consciência é uma limitação e não a plena liberdade de quem se move rasteiramente de forma inconsciente sobre o mundo.

Gresder Sil disse...

Nossa Edu você esta debandando para o radicalismo e desprezo altivo do teísmo religioso: “Somente aqueles cujas escamas dos olhos espirituais caíram são capazes de vislumbrar um universo sem Deus... Aos que não souberam perceber a face bonita de Deus, eu só tenho a lamentar e a condená-los pelas linhas tortas e pintadas de sangue que eles escreveram através dos tempos.”

Explique-se?

Agora quanto a forma ambígua com que você fala de deus, dando ora a entender que ele existe ora a entender que o que existe e esta vivo é idéia de deus, eu nao te censuro, pois é neste monto a minha liguagem pela qual desejo transcender o teísmo e ateisno que limitam e definem o indefinível.

Gresder Sil disse...

Ricardo a moral deste cristianismo vem da mesma fonte que a religião ortodoxa, da Inspiração religiosa dos símbolos e mitos e da influencia moral pela coragem e justiça dos seu protagonistas. Não existe influencia sobrenatural no mundo e toda força e energia espiritual que rege as pessoas vem da influencia moral da religião. É o poder destes exemplos e a beleza destas palavras das escrituras que inspiram e apaixonam as pessoas. Jesus só entra no coração pelo poder apaixonante de sua vida obra e palavras. E não como espírito ou pelo Espírito Santo.

Na desmitologizaçao o Espírito Santo é traduzido como a força poderosa da influencia moral de uma fé no inconsciente coletivo de um povo sujeito ao mesmo ambiente psíquico religioso.

Portanto o que influência e move o religioso é o mesmo que move um cristão secular não praticante e incrédulo do sobrenatural da religião a: a influência moral dos ensinos de vida dos santos do passado resiguinificadas para nosso contexto particular subjetivo. Pois a moral é subjetiva, fora disso se implanta uma ditadura universal de uma concepção de moral.

Garanto pra você que um povo que sacrifica virgens não produz na mesma porcentagem homens que estrupa crianças e explora na prostituição suas filhas. Para cada mundo uma moral, que tem seus defeitos e benefícios e julgar moral antiga ou exótica é preconceito de quem não vive sobre a mesma ótica cosmológica de mundo que eles e querem implantar arbitrariamente a sua moral universal.

Você perguntou: “A questão é, se não há Deus, qual é o fundamento do bom ou do belo?”

Eu respondo a deus sim! eu creio acima de tudo na idéia de deus, no amor de deus nos símbolos de deus, pois Deus de fato eu não sei se existe, mas sou tocado pela influência poderosa que vem dos sentimentos e atributos desse Deus que eu não conheço.

Ricardo Rocha disse...

Mas o que eu quero saber é justamente de onde vem essa influencia moral, porque temos uma moral religiosa e porque essa moral deve ser considerada verdadeira.

Tudo o que vejo Gresder é que vc aqui defende bastante da moralidade cristã mas simplesmente não diz qual o fundamento dessa humanidade e porque devemos acreditar nela. É como eu perguntei antes, porque devemos proteger o fraco, o velho e a viúva, como é um ensinamento da moral cristã que vc parece não querer abrir mão, e não simplesmente descartá-los como um estorno a sociedade. E os deficientes físicos e mentais??? Pq temos uma moral que diz que devemos cuidar desses povos??? Ou vai dizer que vc não se revolta quando ve noticias dos massacres mundiais? E um povo que sacrifica virgens é mais nobre que um que explora suas filhas em prostituição??? Isso simplesmente não convence.

Não quero apelar para falácias emocionais, mas o que estou perguntando tem implicações sérias. Se tudo o que temos são simbolos religiosos sem nenhum valor universal, pq deveriamos seguir esses simbolos?

Acho que falta você ir um pouco ao âmago da questão e se perguntar porque os valores do cristianismo são bons e nobres ao ponto de vc querer construir um CRISTIANISMO a-religioso e se esses valores são universais ou não.

Gresder Sil disse...

Nossa é isso Ricardo?

É muito simples, mas simples do que se imagina!

Qual é o MAIOR bem do mundo? Qual é a maior BUSCA dos homens?

O que TODO mundo deseja como bem supremo?

Para qual é FINALIDFADE pela qual as leis, as religiões e filosofias do mundo desejam chegar ?

O que é ABSOLUTO indiscutivelmente para TODOS?

A FeLiCiDaDe humana.

Portanto o cristianismo serve como base moral e influencia religiosa pelo bem humano que ele pode proporcionar. Pelo seu humanismo, pelo interesse pelos fracos que tinham os profetas, pelo bem que a lei proporcionava ao povo e pelo sentido de vida profundo que a fé em Deus dá ao homem. Resumindo: devemos salvar o cristianismo pela felicidade e bem essencial que ele promove ao ser humano.

Meu deus?! Existe algo mais humano, pratico natural e sustentável nesta “filosofia” realística que lhe apresento?

Eu tenho um texto aqui: a verdade é subjetividade que fala sobre isso.

Ricardo Rocha disse...

Mas ai é que está Gresder!!! Porque o cristianismo com o seu ideal de respeito ao próximo e não o nazismo com o seu ideal de pureza da espécie? Como, com uma noção subjetiva da verdade, podemos contestar uma visão de exterminio visto que, no fim, ela também fazia o que achava que era o melhor para o mundo?

Acho que essas questões seu cristianismo a-religioso não pode responder e nem poderá responder. Ou se aceita esses valores como absolutos, e só Deus pode ser absoluto, ou transigimos com ele sempre que pudermos...

Fica na paz!!!

Ricardo Rocha disse...

Mas vou parar de me ater a isso, pelo menos nesse seu texto pois acho que não vamos evoluir mais kkk.

Abç.

Gresder Sil disse...

rsrs é... Pra nós dois já foi o suficiente rsrs

Acabei de ler agora seu texto no lá no blog, depois se prepara para critica rsrs

Como eu te encontro na internet? Você tem fecebok , Orkut etc.?

Sabia que eu conheci pessoalmente o Marcio e o Edson do blog: um o outro evangelho, ai em são Paulo.

Nossa amizade virtual começou a um ano atrás e já vi o Edson três vezes e o Marcio duas.

Um dia poderei ver você, quem sabe, quantos anos você tem? Você não é um moleque de vinte e três anos não em?! kkkkkkkkkk

Não estou dizendo que você parece ser novo, mas fico aqui tentando saber e chuto que você deve ter entre vinte e três e vinte e oito!

E ai acertei? rsrs

Ricardo Rocha disse...

kkkkk Tenho orkut sim e vc vai me achar como Ricardo Rocha mesmo. A foto é um cara com um óculos escuro, não tem como errar.

Quanto minha idade, acho que vc está muito bom de chute, pois realmente tenho 23 kkkk.

E valeu mesmo por ler. Achava que ninguém leria um texto grande daqueles. E não me importo com as criticas kkk. Na verdade quero mesmo ser criticado kkk.

Mas blz mano, mais uma vez fica com Deus.

Eduardo Medeiros disse...

radicalismo? você não entendeu o que eu disse.


"Sinceramente espero que DEus nunca morra. Gosto da ideia e do sentimento que provoca essa palavra: Deus!"

Anônimo disse...

ORA, ORA, ORA, SE NÃO SINTO CHEIRO DA TEOLOGIA SISTEMÁTICA DO "VELHO" FINNEY NO DISCURSO/RESPOSTA DO GRESDER AO RICARDO?!




KASHDUSHDUKAHD... ESDRAS, SEU FUNDAMENTALISTA ENRUSTIDO!!!

Francisco de Aquino disse...

A paz do Senhor Jesus,parabéns pelo blog,gostaria de fazer um convite a você, visite meu blog,nele você encontrará vários artigos sobre apologética cristã,pregações e vídeos musicais.Deus seja contigo.
www.solascriptura-scriptura.blogspot.com

Paulinha disse...

GRESDERZITTO,

Maravilhoso este texto!

Realmente, se imaginarmos "Deus não existe" - automaticamente - entendemos que "O amor fora do nosso meio também não existe".

Ou seja...se eu não amar você ..o próximo..e você não me amar...e não amar o próximo...onde haverá amor?!

Estamos aqui na "arena" do mundo...olhando para o vazio do nada...esperando por algo além que poderíamos estar fazendo aqui e agora.

Mas o ser humano é dependente por natureza...e carente de proteção...almejar, sonhar e desejar é conosco mesmo...o que justifica nunca se contentar com o que perto de nós..e querer buscar algo que está lá sabe deus aonde.

Massss......
"Ela acreditava em anjo e, porque acreditava, eles existiam". (A Hora da Estrela). Clarice Lispector.

Que mal existe em acreditarmos que Deus está logo ali...nos protegendo de amor?! Isto reduz em 50% o risco de um infarto futuro...rsrs...

noreda disse...

Ok! Então, trocando em miúdos: Deus não existe mesmo né?

Tô enchendo o saco mano, é só pra eu saber quais textos eu já lí.

Vou para o próximo!

Postar um comentário

.
“todo ponto de vista é à vista de
um ponto, nos sempre vemos de um
ponto, somente Deus tem todos os
pontos de vista e tem a vista de
todos os pontos.”
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...