segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Inferno, uma hipérbole aos mortais



“Se o teu olho direito te faz pecar, arranca-o e lança fora, pois é melhor entrar na Vida com um só olho do que ir com os dois para o inferno”. Hora essa! Porque na nossa interpretação o olho é simbólico e o inferno é literal? Porque ninguém até agora arrancou o olho direito que tanto o fez pecar, e mais ainda: porque nenhum homem ainda não arrancou alguma de suas partes “indignas” para poder ser salvo. Então é assim: o inferno ta lá queimando que uma beleza! Mas arrancar a língua, a mão, o olho ou qualquer outro membro que é bom ninguém arranca!

Qual o critério de uma coisa ser literal e a outra alegórica? Porque se ignora um “mandamento” enquanto se teme uma analogia mítica como força de expressão de uma realidade eterna não compreensível? Entende-se que o bom senso é o discernimento do que se é fictício ou literal. Agora me diz uma coisa: que bom senso tem na existência de um lugar de condenação permanente para quem (não pediu para vir ao mundo) peca por setenta anos nesta vida (e não consentiu em nascer pecador) e passa o resto da eternidade pagando por esses seus pecados hediondos: dançar, beber e fazer “amor” fora de hora!

Meu Deus! Como assim? Eu lá no céu na maior alegria e milhares dos meus semelhantes queimando para sempre no quinto dos infernos? Só se eu estiver sedado para não me importar com isso! Ou será necessário Ele (usar deste artifício) apagar da nossa memória a existência dos nossos entes queridos que ficaram para traz, (blasfemando de Deus para sempre) para nos termos paz! Que paz? E a promessa de nunca mais choro, nunca mais dor? (nunca mais pra meia dúzia, será? enquanto a maioria da humanidade se arrebenta, se acotovelando em ódio mutuo, perpetuando o pecado na existência?)

Aquele que era o pedagogo por excelência, instrutor em parábolas, analogias, metáforas, poeta das plantas e animais, prosador da vida do homem do campo, e contador de historias e enigmas, não nos quis falar do inferno como algo literal. Mas sim como uma hipérbole que é força de expressão do significado de aniquilação irreversível que representa o fogo eterno. Hipérbole é uma exageração intencional de linguagem com o intento de tornar mais expressiva à idéia, como figura metaforica propositada para acentur a expressão do conceito, de modo a espor de forma dramática aquilo que se pretende vocabular, transmitindo uma idéia aumentada do autêntico.

Isso nao é engano ou mentira, mas metodologia consciente para se dizer aos que não tem estrutura e entendimento para receber toda verdade. Pois sendo universal a sua mensagem Ele usava desses recursos para atingir de forma subjetiva cada pessoa, de todas as eras e povos, com entendimentos e capacidades de compreensão diferentes. Mas agora que crescemos e temos a capacidade de suportar certas desconstruções dos dogmas provisórios, e não somos crianças disciplinadas pelo medo, uma coisa não podemos deixar de sentir e dizer: que o inferno entendido como condenação literal e perpetua, não condiz nem com o senso de justiça intrínseco no espírito do homem e muito menos com o espírito do evangelho revelado no Amor e Graça do maior Mestre em figura de linguagem, contos alegóricos e palavras expressivas que já existiu!

Gresder Sil

32 comentários:

Edson Moura disse...

Gresder meu menino! Que belo texto sobre uma temática tão recorrente no meio evangélico.

Quero deixar aqui algumas linhas para de modo grosso, colaborar com o texto no esclarecimento sobre uma "eternidade" de sofrimento nos imputada:


Quanto Tempo É Para Sempre? (na Bíblia)

Outro fator muito importante, e talvez o mais de todos, é o fato de que na Bíblia a expressão “para sempre” na maioria dos casos não tem o mesmo significado que para nossa língua portuguesa; portanto, o mais seguro é buscarmos o significado deste termo na própria Bíblia e não em dicionários. Eis alguns exemplos:

1o Exemplo:

“Então, o seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta ou à ombreira, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre”. (Êxodo 21:6 RA).
Quando Moisés deu a Israel a lei acerca da relação de um senhor para com seu servo, ele disse que depois que o empregado tivesse a orelha furada, teria de servira o seu senhor “para sempre”. Será que isto quer dizer que nós (e o povo de Israel) teremos escravos por toda a eternidade? De maneira nenhuma, pois ao escravo morrer, não poderia mais servir ao seu senhor.
Neste contexto, a expressão “para sempre” significa que o servo tem de servir ao seu dono enquanto ele viver.

2o Exemplo:

“Ana, porém, não subiu e disse a seu marido: Quando for o menino desmamado, levá-lo-ei para ser apresentado perante o SENHOR e para lá ficar para sempre”. (I Samuel 1:22).

Ana, a mãe de Samuel, levou-o ao templo para que ele servisse “para sempre”. Por acaso Samuel iria estar no templo terreno aprendendo a ser um sacerdote para sempre? Não, pois a Bíblia diz em I Samuel 1:28 que ele estaria lá enquanto vivesse.

3o Exemplo:

“Desci até aos fundamentos dos montes, desci até à terra, cujos ferrolhos se correram sobre mim, para sempre; contudo, fizeste subir da sepultura a minha vida, ó SENHOR, meu Deus!” (Jonas 2:6).
Aqui Jonas está relatando o incidente que o tinha acometido: tinha sido engolido por um grande peixe e estava na barriga dele. Mas será que ele ficou para sempre dentro do peixe? Deixemos que a própria Bíblia nos responda:
“Deparou o SENHOR um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe”. (Jonas 1:17).
“Então, alguns escribas e fariseus replicaram:

Mestre, queremos ver de tua parte algum sinal. Ele, porém, respondeu: Uma geração má e adúltera pede um sinal; mas nenhum sinal lhe será dado, senão o do profeta Jonas. Porque assim como esteve Jonas três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da terra”. (Mateus 12:38-40)
O livro de Jonas diz e o próprio Senhor Jesus Cristo que Jonas esteve “três dias e três noites” na barriga do peixe. Neste contexto, a expressão para sempre é três dias e três noites.

O mesmo serve para o fogo "eterno" Gresdinho.

Espero ter podido ajudar aos irmãos que lerão este texto...entender um pouco mais sobre Literal e alegórico.

Abração prodígio!

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz Gresder.
Só uma pergunta para poder entender o seu ponto de vista em relação ao inferno. Você é adventista?
Pr. Silas

Marcio Alves disse...

Gresder eu li em algum lugar, que você comentou que, enquanto algumas pessoas estão no primeiro estagio fazendo cálculos da primeira série, nós (confraria) estávamos indo para o último estagio fazendo cálculos para prever o futuro.

Claro, não levando ao pé da letra a hipérbole que tu usaste, (muito criativa por sinal) mas há lógica nisto, pois enquanto há muitas discussões acadêmicas sobre a existência ou não existência da literalidade do inferno, eu estou tentando decidi se acredito na vida após a morte.

Para mim, minha maior tendência no momento é a crença deísta, mas se eu não fosse deísta, e tivesse que opinar sobre inferno, eu diria que a crença que, mas me satisfaz tanto intelectualmente, como emocionalmente, e, também no senso da justiça, são apenas duas:

1-Aniquilismo, onde somente os perversos, aqueles que optaram pelos caminhos da destruição ao próximo, e a si mesmos, e não, as pessoas até mesmo sem religião, que vivem uma vida digna, têm lá os seus “pecados” – mas até ai tudo bem, pois que dos mortais não comete “pecados”, heim? – mas é um ser “normal” e não um animal bestializado pela maldade, serão aniquilados – daí a expressão “morte eterna”.

2-Universalismo, onde todos serão salvos, pois se Deus nos deu a vida, e nos deu a liberdade para se viver, Ele não “pode” nos condenar naquilo que Ele mesmo nos criou: para sermos livres, e se de fato houver uma condenação, como poderíamos ser livres?

Mas ainda acho que a discussão mais profunda e incerta é: realmente haverá vida após a morte? – esta é uma duvida que permanecerá para “sempre” com e no individuo, até a sua morte, mas podemos apenas escolher em viver sem pensarmos na eternidade, vivendo a vida o Maximo possível aqui.

Acho que é isto.........vou parar por aqui, este é um assunto que não tem muita graça discutir, pois sempre ficaremos no campo das hipóteses...........

Abraços

Pr. Eduardo Cruz disse...

Esdras meu querido, aqui vai mais uma inquietação: Se não há um apagar de mente, se todos seremos o que somos aqui. Então como essa sociedade totalmente corrompida pelo egoísmo e pela maldade irão conviver por toda a eternidade? Imagine então a alma cruel de Hitler encontrando-se com raças inferiores(segundo a concepção dele) e tendo que aturar essa turma? Imagine eu você e os abomináveis tele evangelistas?
Enfim, nada é tão claro, nem tão obscuro quanto parece, mas completamente desconhecido.

Visite meu blog www.jardimdaalma.blogspot.com

Junior disse...

Achei interessante seu comentário desse texto.
Meu irmão, quando puder, comente tbm Mateus 10:28, e aquele texto de apocalipse onde fala que: "aquele que nao for achado no livro da vida foi lançado junto com satanás e seus anjos".

Esse tema é bem interessante.

Junior (Impressos e Sites)

site: www.jrsites.com.br

Gresder Sil disse...

Pastor Silas a primeira vez que eu vi um texto do Edson e do Márcio sobre o inferno eu também pensei que eles eram Adventistas, mas me enganei, pois eles não são, assim como eu não sou, mas tem um apreço por todos os cristãos quer sejam católicos, Ortodoxos e hereges como eu.

Eu não acredito nem no inferno e nem no universalismo, mas estou mais ou menos como o Márcio Descreveu entre o deísmo que acredita em Deus, mas não acredita na imortalidade da alma, acreditando que a eternidade é a comunhão e com Deus aqui mesmo nesta vida assim como os judeus do pentateuco ao eclesiastes de Salomão que não acreditavam em vida eterna,mas somente nesta vida aqui.

Mas também creio ser possível um grande julgamento onde aqueles que consciente e explicitamente ( cristãos) como também aqueles latentes e inconsciente (não cristãos) vivem a fé do evangelho, serão salvos, sendo porem julgados e condenados a aniquilamento total de suas alma aqueles que são corruptos e voluntariamente egoístas.

Ivo Fernandes disse...

Mano, excelente texto! Compartilho dessa visão.

Abraços

Gabriel Nagib disse...

Talvez nosso maior erro é não saber diferenciar a consciência da mente. O quê de nossas crenças e valores estão baseados tão somente em nossas experiências, e portanto gravados fisicamente neste cérebro, e quais são as impressões gravadas na alma?

Se após uma acidente pode-se perder a memória para sempre, como teríamos vestígios de qualquer memória quando a consciência se desligar do corpo?

O que sobra de nós sem nosso cérebro?

Daí eu crer que nosso tempo aqui na terra serve como propósito de alcançarmos uma estatura perfeita, à imagem de Jesus. Realmente daqui, nada levaremos, apenas usamos. O que ficará serão as impressões na alma, e estas só podem ser feitas por duas coisas: Amor ou Ódio.

Perdão purifica a alma, limpa. Rancor, ódio, ganância, arrastam-na para o inferno. Opa, inferno?

Sim, inferno, seja lá o que isto signifique. E imagino que será o pior que minha consciência pode conceber: Inexistência eterna. Aniquilação total, como gostam de dizer.

Ah, se fossem só milhões de anos de dor! Deus daria-nos novos corpos só para sofrermos nossas escolhas (pelo que se deduz), mas, quem sabe, ele não teria misericórdia um dia e nos tiraria de lá? "Já aprendemos a lição, deixa-nos tentar de novo!", diríamos.

Mas não, a verdade pode ser muito pior. Se daqui não aprendermos a ser como Jesus ensinou, não avançaremos para o próximo estágio. A vida após a morte.

Mas não é por sermos melhores ou especiais, é somente pelo caminho da humildade e do sofrimento que se chega lá. Não são os honrados nessa terra que recebem honras no Reino de Deus. São os menores, os pequeninos, os inocentes.

Reside talvez aí o motivo do diabo ter seu destino escrito em pedra. Sua alma entrou em soberba, e de lá não sai mais. Sua salvação será a morte. Sua escravidão é a vida.

Por quê motivo sofreriam pessoas de bem junto com o diabo, eternamente no fogo do inferno, pelos motivos que os religosos pregam? Beber, fumar, foder? São realmente os motivos que Deus tem para nos atormentar pela eternidade?

Parece-me que o inferno é uma escolha, mas uma escolha que deve ser feita, assim como o caminho da cruz. Não é necessariamente a escolha de quem não escolhe, é uma escolha consciente, tal qual é a escolha do caminho estreito.

Ocorre que muitos andam no caminho estreito cambaleando, quase morrendo, mas andam. Eles alcançarão misericórdia! Temo pela minha vida, se não ajudo um destes a caminhar!

De modo que eu escolho a Vida.

Eduardo Medeiros disse...

Certamente, nenhum crente-crente, chegou a questionar o que você questiona no primeiro parágrafo. Perfeito: por que o inferno seria literal e o "arrancar o olho" seria simbólico?

Agora, tenho cá minhas dúvidas se Jesus não acreditava num inferno. Talvez não no inferno como o da teologia cristã posterior, mas um reino "em baixo" onde as forças malignas detinham o poder.

Na verdade seria a concepção grega do hades, o mundo dos mortos, cujo domínio pertencia...ao deus hades!

Mas o conceito pode ser de Jesus ou construção dos escritores dos evangelhos. Lembremos que Pedro faz Jesus ir até o hades tomar a chave da morte do maligno. É evidente que esses conceitos eram os únicos possíveis pelos quais os apóstolos poderiam pensar sobre o drama futuro da humanidade, o eschaton. O apocalipse diz claramente, como pontuou o amigo Júnior.

Mas poderíamos usar o mesmo questionamento inicial: se as taças derradas, se os cavalos e os cavaleiros do apocalipse, se o cordeiro, etc e etc são símbolos, como a maioria dos próprios fundamentalistas esclarecidos pensam, porque o terrível lago de fogo seria literal?

J.Lima disse...

GRESDER!
Depois de tudo que escreveu só resta em minha opinião falar sobre as hipóteses, apresentadas pelo Marcio, quero fazer uma análise da psique humana diante dessas duas:

ANIQUILISMO: nessa haverá retribuição de justiça, e a aniquilação dos "ímpios", servirá de justiça para os injustiçados da terra.

UNIVERSALISMO: Nessa o "inferno" seria apenas um "arquétipo" da produção mental humana, na ânsia de ver uma "justiça absoluta", diante tantas injustiças que sofre e presencia os outros sofrerem!

A PRIMEIRA: ANIQUILISMO – Trata com justiça os “justos”, mas seria imparcial com os “injustos”!Reponde e satisfaz o senso de justiça que clama diante das injustiças, mas a dificuldade que vejo é:

- Como ser ter uma justiça em condenar a alguém que desde o nascimento foi violentado pela vida, de forma que não teve na sua mente uma base que pudesse servir de modelo para viver uma vida mais humana! Como seriam julgados aqueles que nunca ouviram o evangelho, e fizeram “maldades”, que no seu contexto de origem não tinham consciência de que era o mal.

Por ex: “UMA CULTURA EM QUE SE SACRIFICA O FILHO A UMA DIVINDADE E SE CRÊ QUE É O CERTO QUE ESTÁ FAZENDO”! Deverá esse ser aniquilado? Seria justo? Visto que se tivesse a luz do evangelho não faria isso, pois sua consciência o acusaria! Mas CONS-CIÊNCIA, e uma CIÊNCIA-COM, vem JUNTO-COM a cultura É determinada por ela!

A SEGUNDA: UNIVERSALISMO - Trata com graça, O DES-GRAÇADO, mas pode despertar o senso de in-justiça!

Salvar todos, pois o cordeiro de Deus foi imolado desde a fundação do mundo, esse resolve todos os problemas teológicos, como a injustiça da predestinação, e o tão chamado LIVRE ARBITRIO que na realidade de LIVRE não tem QUASE NADA, visto que o ser humano é influenciado desde a genética, o meio ambiente, a psique, e todas as heranças da tradição, não o deixam livre para fazer escolhas da maneira que pensa a teologia tradicional.

O livre arbítrio da teologia é um livre arbítrio que tem sua gênese filosófica de que:

“HÁ UM BEM EXTRA-CORPÓREO, E O ARBÍTRIO É FAZER UMA ESCOLHA DE UM BEM FORA DO CORPO, MAS ATRAVÉS DO CORPO NEGANDO AS SENSAÇÕES E IMPULSOS”.

Dessa tese aristotélica nasceu a DICOTOMIA entre o BEM (espírito) e o MAL (no corpo), veja que o querido apostolo Paulo, se apropriou dessa tese do TRIO PARADA DURA: "SOCRATES-PLATÃO-ARISTOTELES", e os doutores do cristianismo principalmente Agostinho tratou de encaixar na teologia cristã.

Nasce o filho bastardo chamado "PARANÓIA",fecundado pelo SEMÉN do amor bandido! O BEM (espírito) aquilo que devo desejar e o PECADO (carne) que devo odiar!

Bom porque esse comentário? È porque eu acredito que não acredito na pré-destino-ação, mas também não acredito num livre arbítrio total, acho que outras pessoas nas minhas condições, não teriam feito o que fizeram e ao mesmo tempo se eu estivesse nas condições de outros, imagino que faria o que eles fizeram.

Entre as duas teorias apresentadas pelo Marcio, eu prefiro o UNIVERSALISMO, seria o triunfo da graça sobre todas as injustiças, e quanto maior a injustiça maior seria o valor da graça. (Mesmo preferindo essa não deixo de sentir indignação em ter alguns cidadãos da história convivendo comigo eternamente! hahahahahahahah)

Finalizo com uma excelente frase daquele que em minha opinião é um dos maiores teólogos da atualidade:

“Uma coisa é falar da graça outra é deixar a graça falar”. Leonardo Boff.

E estou lhe esperando aqui no IBICAMP para tomar-mos aquele café TEO- PSICO-FILO-SÓFICO! Recheado de heresias!
hahaahhahaha
Abraço!

Gresder Sil disse...

Pastor Edurdo Cruz imagina se faz sentido no mesmo lugar a Madona e a madre Tereza, o Mussolini e o Mandela, o Gandhi e o Napoleão queimando junto.

Na realidade não precisa nem ter fogo, é só colocar todo mundo juntos, judeus e alemães, corintiano e palmeirense, americanos e mulçumanos, bandidos assassinos e cidadãos honestos, exploradores e explorados, espremidos pensando fome sede e calor, existe algo mais infernal do que isso. E deus lá em cima pensando: eles merecem, pois desobedeceram a minha santa palavra.

Se o inferno existe mesmo muita, mais muita gente boa neste mundo, alem das próprias que eu amo, vai estar lá para sempre sofrendo, só por que não eram cristãs ou por que não cumpriram a doutrina, enquanto pouquíssima pessoas humanas como todas as outras serão salvas só por que sabiam a senha e as palavras mágicas e o conhecimento verdadeiro para entrar no Céu.

Se o inferno existe eu já estou lá mesmo, e não sozinho, mas com todos esse que eu citei, pode parecer blasfêmia para alguns mas este deus eu não quero para mim, ele não convence meu coração, não enche aminha alma, e justamente porque ele não aceita ser desaforado, e é como os homens que não aceita não ser amado, mas quer comprar a obediência pelo medo e por presentes, é um paranóico vaidoso doente que precisa de receber gloria dos mortais se não, não fica feliz e satisfeito. E principalmente porque estabelece uma igreja corrupta ou fraca e preconceituosa na terra em que somente quem “aceitar” a Jesus nela, vai ser salvo.

Enquanto o resto inteiro da humanidade que já vive numa miséria existencial de desespero e pecado sem ter escolhido nascer neste mundo, e que é levada de pecado a pecado pela própria condição de alienação espiritual em que se encontra e depois vão todos para o inferno.
Não! este deus eu não quero, pois nem deus ele é, que ele fique lá no céu dele com os anjos e crentes que o criaram, porque eles se merecem.

Agora em quem eu creio é Naquele por qual eu sou apaixonado desde os dezessete anos, e que nunca deixei de chorar copiosamente pela sua lembrança até hoje, e que falou sim do inferno, assim como nossos pais falavam de bichos papões, usando conceitos provisórios e infantis, mas para o nosso bem, pois eu me converti e entrei de cabeça na religião por medo da condenação eterna, e hoje estou aqui, apesar acreditar totalmente diferente do credo da igreja em que eu nasci e de ter o perfeito perfil de desviado e herege, penso, falo, vivo, respiro, medito, e escrevo sobre as coisas de Deus vinte e quatro horas por dia.

Levi Bronzeado disse...

Prezados amigos da C.F.G



INFERNO ─ lugar de sofrimento eterno ─ punição para os culpados ─ reservado aos maus.

CÉU – lugar de prazer eterno ─ prêmio para os obedientes ─ reservado aos bons.

Tudo isso tem a ver com o nosso PSIQUISMO e suas Pulsões (linguagem psicanalítica)


Vejam como o nosso saudoso Castro Alves descreveu o “Inferno e o Céu” que habitam dentro de nós (linguagem poética):


“Não és bom nem és mau, és triste e humano...
Vives ansiando em maldições e preces,
Como se a arder no coração tivesses
O tumulto e o clamor de um largo oceano.

Pobre, no bem como no mal padeces;
E, rolando num vórtice vesano,
Oscilas entre a crença e o desengano,
Entre esperanças e desinteresses.

Capaz de horrores e de ações sublimes,
Não ficas da virtude satisfeito,
Nem te arrependes, infeliz, dos crimes:

E, no perpétuo ideal que te devora,
Residem juntamente no teu peito
Um DEMONIO que ruge e um DEUS que chora.

Wagner disse...

Gresder, passei por aqui para dizer que:

O teu livro foi dado para toda direção de edição da CPAD.
Resumindo um diretor me perguntou se você tem algum contrato com a Jeova Nissi, porque ele está com interesse de talvez publicar o teu livro pela CPAD.

Maravilha ein!

Já tenho algumas críticas ao teu livro, sendo uma importante porque foi feita por um doutor formado pela PUC, e muitos elogios.

Se você quiser depois eu te passo o conteúdo das críticas.

um abraço

Gresder Sil disse...

Wagner você quer me matar do coração... não brinca comigo não.

Sim! eu tenho um contrato com a editora Jeová nissi, eu sou clandestino mas meu livro não!

Mas se realmente eles querem publicar eles sabem como resolver isso, afinal de contas a Antonieta tambem tem um livro dela que foi republicado pela editora CPAD

Como eu escrevi esse livro a trez anos e meios a traz eu acho ele muito fraquinho rsrs, e poderia ser melhorado muito com a ajuda de uma grande editora.

O grande problema é que eu não me encaixo no perfil de crente para ser publicado um livro numa editora confesional.

Mas manda a critica para mim, e de o endereço do meu blog, e não se esqueça de falar que eu estudei somente ate a quinta serie...a gora deixa eu acordar.

Pr. Eduardo Cruz disse...

Vc não entendeu minha colocação, achou pelo que vejo que eu estava defendendo a realidade do inferno. Eu apenas lancei uma interrogação a mais sem julgamentos.
Creio que a Teologia é um vácuo não uma afirmação que se fecha em qualquer conceito.
Creio que você me colocou no balaio de todos os pastores que vc conhece, e detalhe, vc não me conhece.
Minha colocação foi para que refletissemos na graça e no amor daquele que a todos suporta de maneira absoluta, dos quais creio sou um dos mais insuportáveis.
Se tivesse lido apenas um de meus livros saberia como penso (também não lhe culpo por não lê-los são livrinhos), e não teria me exposto em seu blog, coisa que, me desculpe meu irmão, eu detesto. Não gosto de me expor se não for para falar do amor de Deus.

Gresder Sil disse...

Pr. Eduardo me desculpe por expor seu e-mail particular no meu blog, é que eu fasso isso com todos que me respondem.

Mas eu entendi sim, tanto é que eu aproveitei o gancho para fazer uma indireta para outros, não foi a você que eu fiz a critica, mas a partir de você eu dei sequência ao raciocino segundo o meu ponto de vista.

Gresder Sil disse...

Gente eu não posso responder a todos pois duas horas de Internet para mim por dia é muito pouco para ler tantos posts, comentários e-mails.

Mas a você José Lima eu vou responder sua questão num post futuro chamado: "uma graça sem fronteira" que é um caminho muito mais excelente entre o universalismo total e o aniquilação dos não convertidos, satisfazendo não a logica, mas nossa sesibilidade humana conforme alguns princípios e parábolas de Jesus.

Eduardo Medeiros disse...

Céu e inferno, são mais dois produtos do dualismo grego no pensamento cristão.

A CPAD publicando livro de um neo-ortodoxo herege a-religioso??? essa eu quero ver...

Marcio Alves disse...

Eduardinho

Você fala assim, porque você não conhece, ou leu o livro do Gresder, pois o livro “a arte dos sofistas na pregação pentecostal” não é neo-ortodoxo, nem possui conteúdo liberal ou herege.
Esta fundamentada no fundamentalismo Assembleiano, o grande diferencial do livro a meu ver, é que o Gresder vai ao âmago, na essência de um pregador pentecostal, enquanto os outros livros já publicados – como é o caso do escritor renomado Ciro – tratam apenas dos sintomas, sendo superficiais.

WAGNER
Agradeço-te por estar ajudando o Esdras, nós – acho que falo por todos da confraria – gostamos e admiramos esse “moleque” demais, e, torcemos para o seu sucesso.
Obrigado Wagner do fundo do meu coração, pois a alegria de um confraterno é a nossa alegria!!!!

GRESDER
Parabéns meu mano!!!!
Mesmo que a CPAD não venha publicar o seu livro, saiba que você é um Nietzsche, pois como o próprio Nietzsche dizia de si mesmo: “Eu sou um profeta póstumo”.
Escrevo o que eu digo, guarde as minhas palavras, escreva-as no seu coração, você se tornará um grande escritor, famosíssimo, suas obras serão lidas e relidas pelas próximas gerações, nem que seja depois de sua morte!!!!!!

(Depois da morte, essa foi boa. Hahahaha. Mas falo sério!!!)

Abraços a todos

Edson Moura disse...

É Marcio..depois da morte é legal!rsss

Só assim esse menino prodígio, não vai ficar se gabando de ser famoso...até porque segundo entendi,ele vai ser "aniquilado" e nem do "céu" vai poder ver meus netos lendo o que ele escreveu!rsss

Abração a todos...e se preparem, pois minhas férias aqui na costa do Marfim estão acabando, logo mais estou na arena!

Isaias Medeiros disse...

Saudações confraternas

Particularmente destaco o seu último parágrafo, onde está o que me interessa: a síntese do texto, a idéia central, a sua "essência" (sem bla bla blás filosóficos sobre isto, por favor). De fato, certos dogmas são provisórios, para que as pessoas que estão em determinado estágio, digamos, "espiritual", possam compreender e com isso não "se perder".

Certa vez eu li que as histórias da Bíblia (AT) na verdade seriam quase todas histórias infantis, tipo, os judeus não criam realmente na literalidade de pelo menos a maioria daqueles fatos, mas os ensinavam daquela maneira para que os judeuzinhos fossem assimilando os conceitos da cultura/religião judaica e quando maiores pudessem ver as coisas "além do véu" do simbolismo didático daquelas narrativas. Os amigos especialistas em Escrituras podem muito bem falar um pouco mais sobre o tema.

Forte abraço!

Gresder Sil disse...

Edison e Márcio você esta certo o Esdras Gregório não e liberal ou herege, é o Gresder que é, e podem ficar tranqüilo que ele nem vaidoso é pois escreve textos fenomenais na internet e Mem assina no seu nome rsrsrs, mas se não der certo uma publicação futura numa grande editora já me sinto muito honrado pela interesse.
Voltando ao texto, Eduardo Isaias e Levi Gabriel nisso:pisamos formigas quase todos os dias, e privamos elas da única vida que elas tem, e quem disse que elas depois de mortas vão sentir saudades da vida, a morte absoluta é o menor mal a ser temido, isso racionalmente, pois desejamos instintivamente (ou criamos) a vida eterna movidos por esse instinto poderoso em nos: o desejo de viver (conforme Schopenhsuer) ou desejo de poder (conforme Nietzsche).
Abraços Nietzscheniano
Falar nele mai uma vês, sabem quais eram os nomes dos quatro capítulos do seu livro: Ecce homo:
Capitulo 1 Porque sou tão inteligente
Capitulo 2 Porque sou tão sábio
Capitulo 3 Porque meus livros são tão bons
Capitulo 4 Porque sou um destino
...é as, más companhias corrompem os bons costumes rsrs

Wagner disse...

Gresder,

O teu livro está ralmente nas mãos das pessoas que recebem dos autores os livros e decidem o que editar.

No caso do teu livro, foi um deles a qual eu tinha dado o livro e que disse ter lido em cinco dias, ficou motivando os outros responssáveis pela edição dos livros a lerem, e querem saber sobre contrato.

Veja com a Jeová Nissi se podemos editar.

Depois é só me dar um contrato que tá tudo bem.

Um abraço

Eduardo Medeiros disse...

Estou torcendo pro Gresderzinho ser publicado pela CPAD. Apesar dessa editora já ter publicado muito lixo, eu sei pois já li muitos, atualmente ela tem diversificado suas publicações, mas ainda só publica teologia de dentro da gaiola.

Como ainda não li o tão falado livro, como o márcio diz, então a temática pode mesmo interessar à editora.

Gresder, a vida está te surpreendendo, prepare-se para isso, mano!!!!

E continue lendo nietzsche.

Gresder Sil disse...

Pô Edurdo que negocio é esse de desprezar a editora, lebre-se que um dia foi util pra voce, ou voce pulou da primeira serie para o primeiro grau de uma vez só?

E tem mais, se eu conseguisse mesmo é a umica chance de eu duplicar um livro com um forte teor fundamentalista nos moldes dos grandes heróis da fé do protestantismo. que já não acreditamos mais, mas foi no terror de ouvir suas pregações : "pecadores nas maos de um Deus irado" que formamos nosso carater cristão.

Eduardo Medeiros disse...

Gresder, não estou despresando a CPAD; ela é uma grande editora, porém, fundamentalista. O que eu quis dizer (ainda não tendo lido seu livro) é se ela teria coragem de publicar um livro crítico aos sofismas dos seus clientes. Não é disso que trata seu livro? uma crítica aos sofismas pentecostais, que para um pentecostal pode não ser sofisma e sim, manifestação do "poder de deus"?

Mas de coração, quero ver o teu livro em todas as livrarias do Brasil!!

Anônimo disse...

Tô pesquisando sobre inferno e terorias como o aniquilacionismo a um bom tempo.
E posso dizer que achei ridiculo essa sua visão.
Realmente é otimo pra quem quer se expressar sem saber o minimo de teologia. Depois da globalização e o advento da internet todo mundo quer expor sua opnião, e o problema é que quando voce quer fazer uma pesquisa, acaba caindo nesses blogs pateticos. quando quiser expor sua opnião, mande um scrap no orkut para seus amigos, pois acabei de perder meu tempo lendo a sua opnião quando poderia estar gastando esse tempo lendo algum texto de especialistas que realmente fazem afirmações com fundamentos.

Roberto Nemines disse...

Acabei de perder meu tempo tambem!

Ademir disse...

haaaaa.... é só um cara que se diz poeta...... não é nenhum entendido no assunto... realmente é só mais uma opnião embasada em nada.

Alessandra Silva disse...

Você disse:
"Eu lá no céu na maior alegria e milhares dos meus semelhantes queimando para sempre no quinto dos infernos?"

Sua visão esta errada. Esta interpretando a biblia de uma forma literal. se é que voce conhce a biblia e usou ela como base para expor sua opnião aqui.
Todo mundo sabe que a Biblia pode ser interpretava de varias formas. alias, já dizia até mesmo Shakepeare que ate mesmo o demonio usa as escrituras para justificar seus fins.
Se vê isso na tentação de jesus onde o diabo tenta jesus a pular de um precipcio porque os anjos o salvariam.

Existem varias interpretações meu caro.
alguns critãos por exemplo acreditam que, apos a morte o ímpio sofre no inferno morrendo novamente(segunda morte. como existe tambem aqueles que acreditam que o sofrimento no inferno é eterno.

Eu particularmente acredito que o homem morre novamente no inferno, mas minha opnião é embasada na minha "interpretação" da biblia a qual leio para ter fundamentação das minhas ideias.

Realmente tenho que dizer que suas afimações são bem superficiais.

basta fazer mais algumas procuras no google que voce conseguirar achar estudos bem fundamentados que talvez concorde com sua opnião.

Esdras Gregório disse...

Alexandra Roberto Ademir e anonimo,ok meninos e meninas, continuem pesquisando no Google!

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Se eu que sou mau não condenaria uma essoa ao inferno, por que Deus que é infinitamente bom e misericordioso o faria?

Talvez eu e você concordaremos de que os ditos de Jesus acerca do inferno não tinham por objetivo prova a existência deste. Ele teria mencionado o inferno no Sermão da Montanha e em outros discursos como força de expressão para transmitir seus ensinamentos de sabedoria.

A teologia do inferno não encotnra sustentação nas Escrituras hebraicas. É mais no Apocalipse que a imagem de um "lago de fogo" é trabalhada como um destino final dos que fracassaram. E, sinceramente, cada vez duvido mais da autenticidade das profecias do Apocalipse, coisa que o reformador Martinho Lutero também chegou a contestar.

Abraços.

Postar um comentário

.
“todo ponto de vista é à vista de
um ponto, nos sempre vemos de um
ponto, somente Deus tem todos os
pontos de vista e tem a vista de
todos os pontos.”
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...