quinta-feira, 15 de abril de 2010

A filosofia da Queda



O mito é o recurso humano literário usado por grandes mentes sensitivas da humanidade para narrar em fabulas e parábolas um “acontecimento” que se dá fora do tempo e do espaço e também do alcance da capacidade de compreensão do entendimento humano.

A mitologia em sua essência nunca se propôs a produzir histórias e contos irreais para entreter ou iludir o povo, mas antes encarou como sua função relatar em signos e símbolos aquilo que as palavras e a mente humana não poderiam verbalizar.

O mito da Queda do homem em Gênesis é a explicação alegórica da origem do pecado no mundo, não se tratando necessariamente de uma história literal com todo o seu enredo e personagens que brilhantemente nos trazem a luz a verdade essencial da queda do Ser imaterial do homem ao estado de existência.

Antes da Queda o homem não existia, apenas era. O estado adâmico primário é a condição de essencialidade e possibilidades de vivências antes do Ser se materializar nas conjunturas e vicissitudes da existência concreta onde as manifestações exteriores ao Ser afetam profundamente o agir do ente personificado no mundo.

Na pureza do Éden o homem não fazia escolhas morais consciente do bem e do mau, não tinha a plena liberdade de ação, não tinha a ciência de causa e efeito, ou seja: o homem não existia na existência concreta das possibilidades de experiências e escolhas, apenas vivia no seu estado embrionário de probabilidades.

Não há em nem um momento na historia de Adão e Eva a afirmação ou sugestão de que a natureza humana foi mudada ou pervertida como conseqüência da desobediência, mas apenas o relato de que o homem foi expulso do paraíso pára viver na terra árida. O que é a mesma coisa que dizer que ele deixou de ser Feto planejado e protegido na mente de Deus para ser Fato na existência ariscada e entrelaçada com o mundo.

Portanto a alegoria da Queda relata a verdade de que o Pecado Original nada mais é do que a degeneração do Ser no seu nível de pureza elementar não influenciável ao estado de existir complexo de interligações que determinam, afetam e formão o ente humano no plano intricado das suas relações contraditórias de interagir com o mundo em sua complexidade existencial.

Gresder Sil

33 comentários:

Oséias Balzaretti disse...

Gresder,

Discordo quando você afirma que "o homem não existia, apenas era", pois o "ser" se processa quando se torna existência, portanto, à meu ver, havia "existência" mas o homem não "era". Após a queda o "ser" se afugenta ao "não-ser" pois o "ser" somente "é" na consciência da Graça que emana da Cruz Eterna.

Platão também dizia que a alma era pré-existente", nesse caso, você estaria de acordo com o filósofo quando disse sobre uma "existência" (talvez com algum nível de consciência [probabiliodades]) antes de haver materialização, digamos assim?

Marcio Alves disse...

GRESDER SIL

Tenho uma noticia bombastica para te dar...

A partir de agora não mais comentárei comentando os meus comentários brilhantes para enriquecer o seu blog, pois terás a ardua tarefa de levar no peito e na raça esta bagaceira sozinho.

O meu intento de treinar em seu blog, utilizando do mesmo como cobaia para me aperfeiçoar já foi devidamente e plenamente alcançado e concretizado, portanto, não me utilizarei deste espaço brega e falido para dar continuidade em minha escrituristica filosofica, pois o mesmo se dará em outra sala do pensamento, a saber:
"OUTRO EVANGELHO".

Assim me despeço desta que já foi a principal e mais brilhante sala do pensar, mas que hoje segura a laterninha da blogsfera e se encontra em um estado de deteriorização e putrefação.

Ao meu socio por um dia muito obrigado por me apresentar a escrita subjetiva, mas agora eu já me tornei autonomo e independente, caminharei os meus próprios caminhos na sina de ser que eu sempre fui, mas até então não o sabia.

Obrigado e abraços

Paulinha disse...

hahahahahahaahahah....Gresder você é doido!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....

Que explicação mais contundente e enigmática deixada aos leitores.....kkkkkkkkkkkkkkkkk........

Olha não vai dar pra postar de novo aquele comentário, mas não esquenta não, porque aquele comentário foi só zueira....

Me lembro apenas que disse ao Marcinho, não sei se ele chegou a ler, que já que ele havia tomado posse do seu blog.... que era pra ele mudar o template para um mais radical, tirando este pergaminho da época em que Pedro Álvares decobriu o brasil....kkkkkkkkkkkkk

Vocês dois são hilários....parecem dois meninos....kkkkkkkkkkkkkk

Abraços!!
Vou ler o seu novo post agora...para discordar depois...kkkkk

Paulinha disse...

Ahhhhhhh mas cadê o texto: "A graça subjetiva de ser" do Marcinho?!

Eu não terminei de ler ele...só li uma parte....buáá...

Marcio envia ele por e-mail pra mim...PLEASE!!!

Marcio Alves disse...

PAULINHA

Na verdade eu li e até respondi dizendo que iria fazer isto, caso conseguisse ficar mais tempo no poder desta joça, mas infelizmente fui expulso antes de concretizar esta transformação, pois você a de convir comigo, este template está mega-hiper-ultra ultrapassadissimo, mas do que na hora de mudar o modelo.

Já não dá mais para ler o meu texto, que aliás ninguém comentou, só ficaram falando do GRESDER pra cá, ESDRAS pra lá, MATHIELO pra cima, tudo personagens fictícios do OSÉIAS RAMOS.

Pois o malvado do OSÉIAS RAMOS excluiu-me do blog dele como sócio, e ainda por cima minha postagem.

Mais ainda tem uma salvação.... este texto que postei aqui, eu já anteriormente tinha postado com o mesmo nome, com a mesma foto lá no blog OUTRO EVANGELHO, que aliás diga-se de passagem, ninguém comentou também, por que será????

Então PAULINHA seja a primeira a comentar o texto literalmente, pois tanto aqui nesta espelunca, como lá no OUTRO EVANGELHO ninguém comentou ainda.

Vou estar te esperando viu.

Ivo Fernandes disse...

Gresder,

Essa 'sempre' foi minha linguagem para se referir a Queda, e acredito que o Oseías não compreendeu bem o que você disse. Pois dizer que Adão 'era', penso eu, não se refere a afirmação de que ele Era-Ser, pois de fato como ele disse o Ser-É-Sendo, ous seja acontece em processo.

Quando ele diz que após a queda se afugenta no não ser, parece sugerir que Adão já Era, o que ele criticou no seu texto. De fato o que Adão era não sabemos de fato pois jamais estivemos em sua posição, porém sabemos onde dará o processo, em Cristo, o segundo Adão.

Abraços

Paulinha disse...

Marcinho,

Já realizei o seu pedido de comentar....amei o poema....Parabéns!!!!!

Abraços!!

Marcio Alves disse...

PAULINHA

Como você esta ainda vivenciando e respirando o meu perfume subjetivo impregnado nesta sala cafofa do GRESDER, e colocou seu comentário me avisando do comentário que você fez em minha sala lá no "OUTRO EVANGELHO", então eu vou também colocar aqui, o que eu também já comentei em minha sala:

"PAULINHA

Você foi no amago de minha postagem ao descrever que Deus ama nossa essencia e não o que nós podemos vir a ser pela transformação do exterior.

Valeu PAULINHA, a primeira e única a comentar o meu texto!!!"

Joel disse...

Você pirou de vez, enloqueceu mesmo.
Cuidado que o estado animal de Nabucodozor esta chegando para Você.
Se Eu entendi, Você esta desfazendo de tudo o que a Bíblia diz com relação a queda do homem
Acoooooorda rapaz, o que está em Gênesis é literal sim, acredite Você ou não, aliás, este é o trabalho principal do inimigo, fazer com as pessoas deixem de crer na Palavra de Deus porque, daí para a perdição, é moleza pra ele.Tas louco? - Joel.

Gresder Sil disse...

Oseias apesar de parecer eu não acredito no conceito platônico de alma pré-existente,acho ridículo.na verdade eu apenas quero dizer que o homem só pode viver sem pecado em tese,pois na pratica da existência o pecado é inalienável em toda possibilidade de vida aonde se tem escolhas, imprevistos e acasos.

Gresder Sil disse...

Ivo obrigado pela sua visita valiosa.
Quanto a Adão, creio ele ter existido, mas não sua minuciosa historia em gênesis.

Acredito no significado da queda que é o fato de que enquanto Adão não tinha pecado ele também não existia completamente a não ser como uma teoria na mente Deus

Gresder Sil disse...

Marcio sua larva do verme do carrapato do piolho da pulga... você não vai comentar esta porcaria de postagem ou vai ficar ai de bate papo com a Paulinha?

Você já comentou mais de três vezes e nada de mencionar o assunto do post.

Gresder Sil disse...

Paulinha eu lamento ter deletado aquele post com seu comentário quando eu fui ver eu nem percebi que eu tinha apagado sem ler sua edificante postagen.

Mas confesso a moral deste blog estava muito baixa, e então eu dei dez reais para o Marcio me ajudar levantar este blog como uma brincadeira, o problema agora é que o outro evangelho decaiu muito ultimamente e eu e o Marcio que esta desesperado estamos bolando alguma peripécia para levantar aquela bosta de blog.

Na verdade estamos montando uma empresa para salvar os blogs sites da internet da falência

Gresder Sil disse...

Joel a cada dia eu estou ficando mais lúcido e escrevendo somente as cosas que eu julgo as pessoas agüentarem ouvir, pois se eu falar tudo o que eu penso nem mesmo eu me agüentaria.

Na realidade apesar de eu acreditar em forças espirituais malignas eu não acredito no Diabo como um sujeito pessoal com planos e vontades, mas apenas como uma “demônio” impessoal, pois eu poderia desmitologizar o Diabo individuo, mas jamais explicar a existência de manifestações espirituais escravisadoras no ser humano.

Interpretações alegóricas sempre existiram no cristianismo e não é por uma opinião errada minha entre milhões de teorias que Deus ira me punir por isso.

“quem é de Deus o maligno não lhe toca”

Eduardo Medeiros disse...

Gresder, vou fazer os comentários do seu blog chegar a mais de 100 pois vou fazer vários comentários de cada parágrafo haaaaaaaa gostou da ideia?

Então vamos lá: Tua frase

"...que se dá fora do tempo e do espaço" - o mito não é resultado de acontecimentos que se dão fora do tempo e do espaço. Os mitos são precisamente, construções que tentam explicar o mundo e "acontecimentos" ocorridos aqui mesmo, no nosso espaço e no tempo mas que não foi possível ser entendido racionalmente pela mente primitiva.

Amanhã eu volto para comentar outra frase...

Levi Bronzeado disse...

Gresder, o homem era um apêndice aconchegado no interior de um útero divino.
A "queda" foi o acidente que o despertou para caminhada íngreme do auto-conhecimento.

Bem vinda QUEDA...

Abçs,

Levi B. Santos

Paulinha disse...

GRESDER,

"Blogs sites da internet da falência.."

kkkkkkkkkkkkkkkk.....

Então acho que o meu está na lista também....vou pagar mais dez reais para o Marcinho gerenciar o Manancial.....kkkkkkkkkkkkk

MARCITTO,

Valeu pelo belíssimo comentário direcionando à minha singela pessoa!

Abraços ..
Gresder Parabéns pela postagem!!

Não comentarei o texto em si, pois confesso que os seus textos são os mais "enigmáticos"...preciso me adequar ainda à sua escrita, e para não me tropeçar, prefiro apenas assistir de camorote o rumo que os comentários à seguir irão tomar....kkkkkk...

Articulei esta estratégia de apenas observar quando não entender, para simplesmente aprender sem tropeçar....rs

Eduardo Medeiros disse...

Seu segundo parágrafo concorda com o meu comentário acima...

Eduardo Medeiros disse...

Concordo com você: o relato bíblico é mito e quer entender porque as coisas no mundo são como são: homens que se matam, natureza ameaçadora, etc. Deveria então ter existido um tempo onde tudo era perfeito...assim nasces os mitos de um paraíso terrestre que está em várias culturas.

Quanto à frase

"da queda do Ser imaterial do homem ao estado de existência."

que diabos você quer dizer com isto????

Eduardo Medeiros disse...

Essa afirmação:

"Antes da Queda o homem não existia, apenas era."

De fato antes da queda ele não existia visto que nem mesmo a queda existiu...não é símbolo?? Então, antes da queda o homem existia como símbolo...assim fica melhor melhor a frase.

Eduardo Medeiros disse...

a frase

" o homem não existia na existência concreta das possibilidades de experiências e escolhas, apenas vivia no seu estado embrionário de probabilidades."

é muito boa, mas havia sim experiências e escolhas. Já que a ordem foi dada, ele poderia escolher não comer né????

Senão, qual a razão da ordem??

Eduardo Medeiros disse...

"...O que é a mesma coisa que dizer que ele deixou de ser Feto planejado e protegido na mente de Deus para ser Fato na existência ariscada e entrelaçada com o mundo."

caramba, gostei muito do efeito dessa frase!! "ariscada" se escreve com dois r!! baixou em mim o espírito do noreda hahahhahahaaha

Eduardo Medeiros disse...

a frase

"Portanto a alegoria da Queda relata a verdade de que o Pecado Original..."

tanto a queda é alegórica quanto o tal do pecado original! O pecado original quer explicar o estado não harmônico em que o homem vive.

Que estamos fora de sintonia e de harmonia é fato. É observável. Já o conceito é mitológico.

Pensando bem...

será que fomos feitos de fato para a harmonia ou a luta e a violência fazem parte da dinâmica do processo existencial do bicho homem?

Poderíamos de fato almejar a paz se não houvesse a guerra? ou a harmonia se não fosse o caos?

Levi Bronzeado disse...

No mito o homem é expulso do paraíso - , ou seja, o homem é desalienado de sua situação pré-individualista, pré-consciente, pré-histórica ou melhor dizendo, pré-humana. Com a expulsão(queda) ele é forçado a percorrer a estrada da história.

Uma vez despertada a consciência de si, uma vez cônscio de existir como homem distinto da natureza, ele não poderia retornar a harmonia primitiva que existia antes dessa consciência.

Com o seu primeiro ato de desobediência, a história começa. Sendo o primeiro ato de liberdade - uma transgressão.

Todo ato de desobediência é ao mesmo tempo um ato de obediência a outro princípio.

A transgressão é a mola propulsora da história. Sem ela tudo seria fixo ou imutável.

A "queda" colocou o homem como centro da história, muito embora, ele saudosamente, ainda continue a pensar num eterno retorno ao estado em que bem acomodado vivia no Útero divinal, de uma maneira "inconsciente" ou pré-consciente.

Gresder Sil disse...

Eduardo tanto a “queda” quanto o sacrifício que trouxe a “redenção” foram “fatos” que se deram fora do tempo e do espaço.

A queda porque ela nada mais é do que a transformação de uma teoria em pratica, pois em tese e na essência o homem é puro, mas na pratica e na existência ele é pecador.

Portanto a queda é a transformação da idéia: homem, na realidade: homo sapiens, ou seja a queda nunca existiu literalmente.

Assim como a o sacrifício da redenção também foi feito na eternidade do cordeiro imolado antes dos séculos e representado na vida e Paixão de Jesus

Gresder Sil disse...

Quanto a esta frase "da queda do Ser imaterial do homem ao estado de existência."

Ela significa que a queda é transformação de uma alma pura em sua essência imaterial e independente do corpo, num ser corpóreo que se da na existência compassada pelo tempo e limitada pelo espaço.

Você disse: “mas havia sim experiências e escolhas. Já que a ordem foi dada, ele poderia escolher não comer né????”

Avia somente no mito, mas não no momento em que “Deus” transformou em fato o seu projeto. Aonde hesite escolha existe “pecado” aonde não existe escolhas “tentações” incidentes não existe nada, não existe Existência. A queda é a existência, o pecado é a vida.

Ou Deus criaria o homem nestas circunstâncias complexas da existência ou ele apenas abortaria as sua Idéia para evitar o pecado, que nada mais é do que é a existência dos seres livres e morais, pois liberdade num mundo paradoxal como o nosso é possibilidade inevitável de “desobediência”.

Eduardo Medeiros disse...

Olha gresder, você tá se embolando todo no que é mito e no que é "fato". Se a queda nunca existiu literalmente, pra que precisamos que o sacrífio que trouxe redenção também não seja?

Ou é isso que você está dizendo e eu não captei?

Tudo então, deve ser relegada ao mito. Redenção "fora do tempo", queda e pecado original. Ou seja, são mitos que "explicam" a nossa situação atual.

OU é isso ou é aceitar tudo pela fé e pela crença. E aí não existe explicação racional, apenas explicação psicológica, como bem faz o Levi, ou a explicação religiosa da teologia conservadora. Se colocarmos somente um mito sequer na história toda, tudo necessariamente, também se torna mito.

Eduardo Medeiros disse...

Vamos chegar aos 100 comentários nessa conversa...heeeee

Gresder Sil disse...

Levi como eu poderia comentar seu comentário, sendo que você foi o que melhor entendeu.

Mas também, é covardia, pois com o conhecimento que você tem fica fácil rsrs

Esta sua ultima frase diz tudo: “ o homem...vivia no Útero divinal, de uma maneira "inconsciente" ou pré-consciente”.

É exatamente isto que eu queria dizer,como também dizer que a existência só é possível em “Pecado”. Pois um paraíso sem possibilidade de pecado (escolhas) é não existência, e o fim de toda a vida.

Bem vindos ao Deismo fruto lógico da desmitologização de um cristianismo fora do “sobrenatural” da religião.

***Adriana Rocha*** disse...

Quanta honra querido... pois bem meu primeiro Livro Eu te acompanho até a Cruz "independente" chega em mais ou menos 30 dias, poderei disponibilizar pelos correios, sabe como é complicado pra nós né? ainda bem que pra Deus não é...

estou trabalhando o laboratório do Segundo livro o Afiandos por Deus o que tem me dado muita alegria em dar e receber da clinica acompanhe no meu blogg verá o quanto trabalho há na seara

beijos DRika

Isa Medeiros disse...

Amigos, criei um novo blog: o "Tem-pla-ti - Templates pra ti"

http://templati.blogspot.com/

Ele surgiu do meu gosto por templates (modelos para blogs ou sites), do meu desejo de compartilhar o que eu aprendi nesse tempo de blogagem e também da necessidade de amigos de terem uma orientação sobre como lidar com o layout dos seus blogs e outras coisas do tipo.

Conto com a participação de vocês baixando os templates, testando-os, usando-os em seus blogs, comentando, fazendo sugestões e divulgando para os outros amigos blogueiros que você conhecem.

Pretendo atualizar este blog constantemente, portanto, sugiro que assinem a sua newsletter.

Abraços!

Gabriel Nagib disse...

Gresder, vejo que falas por palavras de difícil compreenssão, bebas menos antes de escrever mano!

Mas vamos lá, comentando esse texto seu. Ao meu ver, a chave do mito da queda está aqui:

"Na pureza do Éden o homem não fazia escolhas morais consciente do bem e do mau".

A chave é esta: O homem não era ainda um ser consciente. Adão não era um homo sapiens sapiens, e creio que adão pré-queda é um ser e o pós-queda já é outro hominídeo.

A queda foi o salto evolutivo que nos possibilitou a consciência, que foi o quê nos diferenciou de todas as outras espécies. O Adão pré-queda tinha talvez uma proto-consciência, mas sua mente ainda não era aberta como a nossa.

A "queda" para mim representa o momento que o hominideo primitivo desceu das árvores e teve que se adaptar às savanas africanas, tanto é que este é o motivo dado pela ciência da mulher ter dores no parto (má adaptação ao modo de andar ereto), que é o mesmo dado pelo gênesis (a queda).

Em um momento o homem teve um despertar, e ele teve conhecimento do bem e do mal, e por isso sobrevieram sobre nós todas as questões éticas e morais, que os seres não-conscientes não têm.

Foi quando o homem se viu nú no paraíso. Como se ele despertasse, olhasse em volta, e percebesse sua fragilidade. Quando Deus veste-os com pele de cordeiro, está representado no mito a busca do homem pela religião, que foi a forma dele se vestir novamente e esconder sua nudez, sua fragilidade perante o universo.

E dá para ir cada vez mais a fundo no mito, o que me deixa maravilhado a cada vez que o leio, em ver como os antigos conseguiram interpretar a formação de nossa consciência...

Gabriel Nagib disse...

Eram tantos comentários que passei batido pelo do Levi, que foi perfeito.

Postar um comentário

.
“todo ponto de vista é à vista de
um ponto, nos sempre vemos de um
ponto, somente Deus tem todos os
pontos de vista e tem a vista de
todos os pontos.”
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...