segunda-feira, 5 de abril de 2010

A imortalização de um "mito"



No tempo daqueles dias nem todos estavam acreditando que Ele tinha realmente Revivido, uns disseram que aviam caminhados com Ele, outros ouviram de mulheres que com Ele conversaram. Mas os mais criteriosos pensaram se tratar de uma medida de segurança das autoridades em impedir a divinização de um morto.

Mas tudo se controvertia apenas em rumores, pois naquela confusão o que aconteceu dantes dos humores se acalmarem, foi um mal entendido sem precedente que havia se formado em relação ao sumiço de seu corpo e aparição de sua pessoa a alguns que estavam profundamente abatidos em seus estados psicológico emocionais.

E agora o que dizer a posteridade depois de tanto tempo de sua partida, sendo que nem todos estavam de acordo com as lendas que se formaram em torno Dele. Pois uns acreditavam que Ele fora levado aos céus depois ter voltado à vida, outros que Ele nem mesmo tinha morrido, desaparecendo no deserto.

Mas para aqueles que haveriam de deixar como legado a sua vida e ensino, eles não se importavam em averiguar objetivamente o que se deu, pois para eles Ele estava tão vivo que não fazia nem sentido investigar algo impossível de se provar, e quebrar o clima de magia e esperança absoluta que persistiam em seus corações pelo seu Espírito dentro deles.

As suas palavras eram tão vivas em suas memórias, e sua morte foi tão drástica que eles não se esqueceram de nada. Mas como falar de coisas que só tinham sentido para quem estava ali, e para quem viu com os olhos aquilo que somente o coração poderia entender por figuras eternas que só são representadas na alma.

Não! A escrita crua não haveria de reproduzir aquilo que eles sentiram e viveram naqueles dias. Somente o fato visto não tocaria as cordas do coração para se ouvir a musica que constantemente tocava em suas almas profundamente marcadas pela singularidade daquele Homem Divino.

Seja lá o que tinha acontecido com Ele depois de sua morte, pois se nem todos o viram, somente os mais pequeninos, não tinha como negar que Ele não havia de ter sido Revivido, pois a sua presença era viva em todos eles. Sendo assim, escrever era pouco, eles haveriam de reeditar e desenhar a sua vida desde o começo ate o fim.

E por isso então pensaram: que se deixe perpetuar o mito de sua assunção aos céus, pois seria como um símbolo a qual falaria mais da verdade Viva de sua vida palpitando em seus corações do que a suspeita possibilidade que eles não podiam conhecer. E que também se recusavam e querer entender racionalmente aquilo a qual somente poderia ser visto e aceito com a fé do coração e não com os olhos da razão.

Gresder Sil

Especulação sugestionada pela intuição de uma experiência singular entre dez amigos virtuais.

41 comentários:

Marcio Alves disse...

"A imortalização da promessa de seu retorno"

No calor das emoções, inibriado e mistificado desaparecimento do galileu, surgi na historia e no chão da palestina, 12 homens chamados de apostolos com uma multidão que os seguiam, de sem rostos e identidades, com uma noticia alvisareira em seus labios rachados pelo tenso e abafado calor do deserto, que o seu rei e salvador, tinha ressucitado e que em muito em breve ele mesmo, do mesmo modo como foi elevado aos céus, haveria também de descer, para vir e buscar aqueles que acreditassem nele, e na sua eventual e poderosa mensagem deixada como legado para os seus servos e seguidores, para que eles dessem continuidade em sua obra de implatação e divulgação do reino.

Pois antes mesmo de partir deste mundo, de um modo tão terrivel e cruel, tinha deixado a sua promessa aos que assim cressem, de que em muito em breve, em um curto espaço de tempo, ele mesmo e não outro, retornaria, pois foi ao céu, preparar uma mansão celestial, um verdadeiro paraiso, com uma vida eterna em todos os sentidos, onde não haveria mais morte ou dor, nem pobreza e nem descriminação, onde todos seriam ricos, respeitados e imortais filhos amados do seu Pai.

Por isso, uma imensa multidão, muito mais após a sua morte, do que em vida, acreditava na mitologização do mito de sua ressureição e aparecimento, ainda que este evento, tenha se dado aos poucos escolhidos e de modo muito imperceptivel, mas para a multidão, não importava as provas racionais e tão pouco factuais, pois o que eles queriam mesmo era acreditar e ter uma esperança viva de que mesmo que viessem a sofrer muito e também a ser esquecidos, ou até mesmo oprimidos pelo imperio romano, que muito em breve aquele humilde e fragil carpiteiro que morreu em uma cruz, e que segundo os seus discipulos mais fieis, havia ressucitado, voltaria uma vez mais para buscar eles, para onde ele estivesse, também estivessem eles.

Passa-se então, a ser propagada uma mensagem triunfal, onde não havia poder, nem imperio, nem mesmo a perseguição, até mesmo a morte, conseguia parar o processo e progresso de evangelização e difusão da mensagem do Cristo, pois estava embasada em três pilares: morte na cruz como espetaculo ao mundo, ressureição como evento invicivel e mistico, e a promessa de seu retorno como grande rei, envolvido por sua gloria e majestade, num encontro triufante com aqueles que acreditassem com uma fé para além da razão em sua mensagem e vida.

Marcio alves

Wilson Parpinelli disse...

Olá Gresder,
Adorei seu Blog. É um excelente trabalho que está realizando aqui. Já estou seguindo!

Quero aproveitar pra lhe convidar a visitar e também seguir meu blog. Será uma honra tê-la como leitora. Seus comentários também serão sempre muito bem-vindos.

Visite: www.teologiainteligente.blogspot.com

Juntos seremos mais eficazes na proclamação do Evangelho de Cristo !!!
Te espero lá...
Graça e Paz !!!

Levi Bronzeado disse...

O Marcio está levando uma grande vantagem, pois está postando lá no “Outro Evangelho” e aqui no blog do Gresder. Portanto, meu primeiro comentário vai para versão de Gresder sobre a imortalização do mito da “Ressurreição” . Só depois eu comentarei o mesmo tema na versão postada por Márcio (rsrsrs).

Cada um dos evangelistas dá uma versão mítica sobre o desaparecimento do corpo de Cristo e seu aparecimento “sobrenatural” aos onze discípulos. Digo aqui “sobrenatural”, mas, os que estudam psicanálise sabem que esse fenômeno é descrito em uma outra linguagem. As forças poderosíssimas do inconsciente, e seus impulsos enraizados na mente fazem o indivíduo experimentar circunstâncias nunca imaginadas. Paulo, sublimado, experimentou um fenômeno vindo do poço profundo do seu “inconsciente” , e sem o conhecimento dos mecanismos mentais da Psicologia profunda, relatou que tinha ido até o terceiro céu (figura simbólica que a psicanálise, hoje, traduz com facilidade).

Temos que levar em consideração, que os discípulos se encontravam desesperados e mentalmente afetados , e, é nesse clima propício, que as manifestações do inconsciente se projetam, no caso específico, através da percepção visual.

Como sou meio cético, entre as narrativas dos evangelistas sobre o aparecimento de Cristo aos discípulos depois de sua morte, fico com a simples declaração menos fantasiosa de Mateus (28 ; 17): “Quando O viram, o adoraram, mas alguns duvidaram ( ou desconfiaram)”.

O que isso significa? Significa, que alguns deles não consideraram o que viam como algo “real”.

Contudo, como dá a entender o Gresder no seu ensaio, aquele “ fenômeno psíquico” que os discípulos experimentaram, embasou as suas mentes como uma realidade palpável. E a fé, é justamente isso: “crer no absurdo”.

Eduardo Medeiros disse...

Primeiramente: Caracas marcinho, o que você pretende? ofuscar o texto do Gresder com esses seus comentários quilométricos cheios de poesia e profundidade??? heeeeeee

Pena que não estou conseguindo lê-los calmamente pois não tenho tempo para isso, pois ainda estou dependente de Lan...

Sobre o mito da ressurreição: o tema é vasto e daria para ficar em discussão por pelo menos um ano!!

Existem várias abordagens sobre o assunto nos teólogos liberais. Para a ortodoxia cristã, não há dúvidas: Ele de fato, ressuscitou.

Mas ressurreição já é um termo inadequado para o acontecimento, até visto de uma perspectiva conservadora.

Ressuscitar é quando você morre e volta à vida. Nesse caso, você é a mesma pessoa. Seu corpo é o mesmo.

Jesus ressurreto, possui um corpo espiritual porém revestido de carne, pois ele comeu e bebeu com os discípulos mas ao mesmo tempo, atravessava paredes e se teletransportava de um lugar para o outro, o que é um paradoxo insolúvel para a razão.

Então, tecnicamente falando, Jesus não ressuscitou, o que houve com ele de acordo com as narrativas evangélicas foi outra coisa.

Os relatos não pretendem ser históricos, isto é óbvio pela crítica literária. A intenção dos escritores evangélicos era explicar uma experiência sobrenatural que eles tiveram com o Mestre que para nós hoje, não é acessível, logo, as narrativas da ressurreição são teológicas e não históricas.

Os dados pretensamente históricos, como as aparições, são encaixados no texto como costura para o relato teológico, mas não são de fatos, históricos.

Mas o fato é que a experiência que os discípulos tiveram resultou numa missão que eles tomaram para si: anunciar ao mundo que o messias judeu não foi derrotado pela morte, que a utopia do Reino estava viva em sua ressurreição e ascenção.

A crítica mais óbvia que podemos fazer é:

Jesus disse que "essa geração não passaria sem que estas coisas acontecessem", se referindo ao seu sermão escatológico do estabelecimento do Reino de Deus que irromperia na história NAQUELE tempo.

Mas, com sua morte, a utopia de fato, torna-se utópica elevada ao impossível. E aí, a mensagem de Jesus que não pregava a si mesmo, mas sim o Reino, é disvirtuada para a sua pessoa e o Reino fica como esperança para um futuro que nunca chegou.

Marcio Alves disse...

Caro Wilson Parpinelli

Obrigado por sua visita nesta ilustre sala do pensamento, fique a vontade para analisar os textos, tando do GRESDER quanto os meus, se preciso for questionar e discordar, se sinta a vontade.

Abraços e obrigado pela visista

Marcio Alves disse...

Mestre Levi

Estou aguardando vossa analise de meu co-texto gresderiano.

Abraços

Marcio Alves disse...

EDUARDO MEDEIROS

Não pretendo ofuscar, embora os textos de meu parceiro GRESDER corram este risco, mas é um risco previsto, porém, que precisamos correr.

Mas antes, quero unir forças com ele, para juntos levantarmos esta sala do pensamento, que esta no fundo do poço, e conto com você e com todos.

Outra coisa, pode a partir de agora, comentar sempre duas vezes,uma o texto do GRESDER,e a outra o meu.

Abraços

Gresder Sil disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Que isso até meus visitantes o cara saudá e responde kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Márcio você esta se divertindo com tudo isso ou você é mesmo um sem noção kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Enquanto os comentários eram comentários eles tinham o seu brilho singular, mas a partir do momento em que você faz deles uma postagens ele perde todo o encanto, não pelo conteúdo e beleza mas pelo fato de eles quererem disputar com a postagem original. Pois esta parecendo com os ridículos pregadores pentecostais que imitam seus ídolos kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Oséias Balzaretti disse...

Mitos, lendas, conveniências, narrações não-históricas... enfim, tenho pensado um pouco sobre tudo isso, mas mesmo observando o que há de mais expressivo na teologia liberal, ainda assim, tais conceitos nos prendem ao fato de que há um Jesus que, depois de morto, vive.

Por outro lado, a "morte" como vemos ocorrer ainda é um mistério; o que virá em algum "depois" é impossível de ser racionalizado e bem poderá ser um "algo" para muito além de nossa compreensão.

Portanto, quando se fala em termos da "morte" e "ressurreição" de Jesus não se pode estabelecer praticamente nada à partir daquilo que temos apenas como informação.

Creio que penetramos nestas dimensões do "além-vida" apegados a fé, pois esta, em seu modo absurdo de ser, nos conduzirá ao Cristo vivo.

Gresder Sil disse...

Levi eu acho que a gente vai ter que internar o Marcinho, pois ele esta respondendo todos os comentários, daqui um dias ele só falta descobrir o meu login e tomar conta de vez deste blog. depois você explica para a gente o que é esse fenômeno psicopático que se passa com o Marcinho, se é que isso tem alguma explicação rsrs.

Mas quanto ao seu comentário eu adorei mesmo, acrensentou mais ainda as minha suspeitas.

Algo singular aconteceu entre eles, Jesus foi tao divino que era impossível eles o sentirem morto, eu mesmo tenho a sençao de que ele nem mesmo morreu, sinto-o tao vivo, agora imagine eles que o tocaram e ouviram suas palavras.

Gresder Sil disse...

Eduardo seu miserável saiba que é você o grande responsável por isso, pois você tem me cobrado coerência no meu cristianismo a-religioso e por isso somente um Criso sem os adereços sobrenaturais da religião pode ser um cristo a-religioso para um cristianismo fora da religião.

Estava pensando hoje que eu não sou um cristão no sentido espiritual mas no sentido humanista pois eu amo a Jesus como eu amo meus amigos mais antigos ou como se ama um ídolo qualquer entre os homens, mas só que tem um porem, o grau de amor e emoção que eu sinto por ele é elevado a dez vezes mais do que qualquer amor que eu sinto nesta terra, e isso mesmo imaginando que Jesus não ouviu nem uma voz do Pai, mas assumiu para si a identidade de filho de Deus por acreditar que nele se cumpria a maior possibilidade de revelação do divino em um homem.

Marcio Alves disse...

Caro Oséias

Concordo contigo, pois mesmo depois da mistificação da mitologização do singular acontecimento da ressureição de Cristo, ele continua vivo em nós e em nossa fé, pois a fé que nasce a partir do mito, sobrepuja a razão do ser que crer, para um além da vida, no absurdo escandalosa da crença que sempre continuará a arder os nossos corações.

Abraços e volte sempre, e um grande prazer receber e ter você por aqui.

Marcio Alves disse...

Caro parceiro e amigo deste blog GRESDER

Estou gostando de ver, é isso ai!!!
Vamos continuar nesta força, que daqui alguns dias, o nosso blog a-religioso vai esta de novo no lugar da onde ele nunca deveria ter saido.

Abraços

Gresder Sil disse...

Que isso Márcio você esta disfarçando para não demonstrar o mico que você pagou aqui ao postar um texto em cima do meu, ou você já tinha progetado isso, sei não... você não é tão inteligente assim rsrs, mas de qualquer forma estou adorando de tanto dar risada desta sua tentativa de usurpação da minha Gloria.

E obrigado por responder ao Oseias, assim é menos um que eu tenho que responder rsrs

Porque meu, por mim e para mim são todas coisas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Edson Moura disse...

Marcio...belíssimo texto, claro que permeado de ficção-inconsciente, mas de muito conteúdo. Sócio, desde que virou acionista deste espaço a-religioso, estou sentindo sua falta em nossa sala.rsssss


Gresder...co-autor nesta sala, concordo com você em relação ao Eduardo. Graças a esse elemento, fui estudar umpouco mais das outras religiões...e pasmem: "Estou cada vez mais convencido de que o mito Jesus (entendam), foi "mitologizado" sobremaneira, se atentermos para todos os outros conceitos de fé que existem no planeta...encontraremos similaridades.

Quem pode nos garantir que de fato, os acontecimentos foram verídicos?! Textos seculares? Creio que não!

A conciência humana, segundo Freud, é como um ice-berg. (sendo a perte visível o consciente...e a parte submersa o inconsciente). MAs gosto da analogia de Carl Gustav, onde ele sugere (afirma) que A mente humana é mais parecida com uma rolha boiando no aceano (todo o oceano é o inconsciente..enquanto a rolha é o consciente que vagueia para onde as ondas o levam)

Mentes primitivas de homens primitivos. Verdades para eles...incredulidade para nós. Pressões e expectativas para eles...2000 anos de existência pós-Cristo para nós.

Assim foi a fé deles...e assim é nossa "fé". Existêncial?! Um pouco! Cético?! Um pouco! Racional?! Muuuuito!

Parabéns pelo texto Gresder e Marcio. Desejo-lhes um futuro próspero neste espaço a-religioso! kkkkkkkkkk

Levi Bronzeado disse...

Gresder


Voce pediu, e eu vou tentar explicar o "porquê" do Marcio está, sendo seu duplo.(rsrsrs).

Não é um fenômeno psicopático como você pensa.

Para decobrirmos o desejo inconsciente, temos que nos reportar a infância, isto é, nos reportar a relação "pai-filho" dos primórdios de nossa vida. Uma prova do que estou falando é que o Marcio, inconscientemente colocou o título do seu ensaio bem sugestivo: "a promessa do retorno" - que em outras palavras significa dizer que com o texto postado ele está fazendo um retorno a sua infância, quando desejava "inconscientemente" suplantar o pai.


Antes do advento da psicanálise, se pensava que o filho procurava imitar o pai. Hoje o que se sabe, é que o filho procura SUPLANTAR o pai, numa espécie de competição inconsciente. E essa competição sempre é racionalizada com alguma explicação teórica (O márcio falou que era para soerguer o seu blog), e isso é um mecanismo de defesa para não mostrar o que jaz por baixo de da explicação racional criada.

O lider, o professor, o artista preferido do adulto funciona à maneira do Pai. A pessoa projeta a imagem do pai que está no seu inconsciente, no seu ídolo.

Agora tem um porém, quando esse adulto cresce em conhecimento, sente em si, a intuição de superar o lider, ou aquela pessoa que ele muito admira.

Psicanalíticamente (me perdoe o Marcio)existe aí uma disputa inconsciente do filho (representado por (Marcio) contra a figura do Pai (simbolizado pelo Gresder).

Para corroborar o que digo, a figura do Pai é sempre representada no inconsciente, por aquela pessoa dominadora, que adora comandar, e que externa publicamente o desejo de potência (nietzscheana) sobre os demais.

Ai agora é com o Gresder, e ele vai me dizer se estou ou não com a razão.

Atingi a meta, ou passei raspando a trave? (rsrs)

Paulinha disse...

Amigo GRESDERZITTO e MARCITTO,

Se debater com vocês dois separadamente já não é facil, imagine debater com os dois na mesma sala......Gzuisssssssssssss.....hahahahah

"SaRtei de banda"

Beijos amigos!!

Isa Medeiros disse...

Sem dúvidas, há coisas que somente quem as vivencia pode compreender totalmente, e outras que simplesmente não podem ser teorizadas ou escritas, pois perderiam toda a sua essência, de forma que melhor seria se cada um fizesse a sua própria análise pessoal a respeito delas. A assunção de Jesus pode ser uma delas.

Marcio Alves disse...

Ex-socio EDSON MOURA

Agora resolvi me aliar ao GRESDER, para ver se desta vez, esta birosca sai do fundo do poço e esquecimento da blogosfera, para voltar a brilhar como antes, sei que a missão é quase impossível, aja visto o meu sócio GRESDER, ter abandonado o navio que esta se afundando.

Outra coisa ex-socio – pelos menos por um breve tempo – o nosso blog outro evangelho, esta nas alturas, brilhando muito, já este aqui........

É de certa forma, estou tentando redimir a minha consciência, pois a causa deste blog ter se afundado não é somente por culpa do GRESDER, que administrou muito mal este espaço, mas porque eu o abandonei.
Não sei se lembra Edson, mas na época em que esta sala estava no auge, com 50, 60 comentários, uns 30 eram só meus, isto porque eu ficava debatendo com todo mundo que vinha aqui, e fazia os outros comentarem também varias vezes.

Ou seja, o GRESDER precisa muito de mim aqui, esta sala sem minha presença não é a mesma, mas assim que esta sala se levantar das cinzas, e voltar novamente para o topo, ai eu voltou para a nossa sala.

Marcio Alves disse...

Mestre LEVI

Você não devia ter falado isto, agora o GRESDER vai-me zuar demais!!!!!

Na verdade Levi, embora novamente você tenha dado uma magistral aula de psicanálise, eu não encaixo na sua prescrição analítica dos fatos, pois minha única motivação interior é ajudar o coitadinho do Gresderzinho.

Abraços e volte sempre, pois sua presença e comentários são de suma importância.

Marcio Alves disse...

Paulinha

Agora eu quero ver você vir debater com o GRESDER, pois estou aqui para ajudá-lo, quem mexer com ele vai estar mexendo comigo!!!! Hahahahahaha

Marcio Alves disse...

ISA

A resposta em relação a Cristo ser quem ele foi para ser quem ele é se encontra não do lado de fora, mas antes dentro de cada um de nós.

Abraços

Marcio Alves disse...

Amigo e parceiro deste blog GRESDER SIL, estamos com alguns probleminhas tecnicos com este blog, pois eu postei uma vez, e apareceram duas vezes, como eu não entendo muito, e se puder dar uma olhada, pois precisamos estar funcionando perfeitamente para melhor atender os nossos leitores.

Juntos já começamos a levantar este blog!!!

Abraços

Gresder Sil disse...

Levi você esta coretissimo, quando eu estava em Sao Paulo o Márcio disse para mim e para o Edson que ele queria ser igual a mim que sou um verdadeiro Salomão tanto no conhecimento como no...deixa pra lá.

Obrigado mais uma vez Levi, e se não for muito você poderia falar só um pouco sobre psicologia profunda e como o impacto da vida e morte de Jesus poderia afeta-los profundamente pelo resto de suas vidas.

Gresder Sil disse...

Márcio você não imagina como eu estou me sentindo bem com você aqui me ajudando pois o trabalho tem sido menor para mim rsrs.

Quanto a gloria da primeira casa que se foi, não é que o brilho do meu blog desapareceu, mas é que o céu agora esta mais estrelado, pois inconscientemente eu e o Eduardo somos os que forçaram a vocês escreverem melhor e interagir mais um com os outros, pois antes de nos o seu blog por exemplo era tão fraquinho como a sua aparência de menino desnutrido e remelento.

Ednelson Rodrigo Sales Coelho disse...

Seguindo a "desmitoligização",proposta por Butmann,você está corretíssimo...(segundo Butmann, claro).
Abçs

Gresder Sil disse...

Ednelson que hora você por aqui. Obrigado mesmo, não só pela visita mas pelo elogio de eu estar coerente com a proposta de desmitologizaçao conforme o intuito do blog.

Eu Sei que você não acredito que eu escrevi e talvez nem mesmo eu, uma coisa são as exigências da minha mente outra são a fé do meu coração, Jesus é tão VIVO e tão REAL para mim quanto é para você e isso em relação a mim não precisa de túmulo vazio.

Você disse lá no Marcio que você ia ler estes caras só para melhor combatê-los, daí que isso tem dois erros graves,

O primeiro é que ao ler um autor liberal ou filosófico com conceitos pré concebidos você nunca vai entendê-los, pois existem coisas escritas a que você tem que sentir junto com o autor o que ele sentiu e percebeu pela sua intuição da razão e percepção do futuro.

Segundo é que esta postura de ler um livro para combatê-lo é desonesta, pois primeiro lemos uma obra é só depois é que fazemos uma avaliação da mesma. Não se lê para desmentir uma tese, mas primeiro para saber o que o escritor quis dizer pó!

Quanto eu era fundamentalista eu acreditava que eu poderia ler tudo sem medo estando aberto para outros conhecimento já que Cristo para mim era A verdade absoluta. Resultado: a filosofia “purificou” minha fé de todos os mitos falsos para o mito verdadeiro: um Deus único sem trindade e um Jesus humano sem divindade mas escolhido por Deus para ser que foi.

Ednelson Rodrigo Sales Coelho disse...

O que eu falei lá no Márcio foi no calor da discussão.Estou lendo-os, analisando-os e, com certeza aprenderei algo de bom com eles.Mas eu estou casado com Jesus, o dos Evangelhos.
Eu apareço por aqui, só que eu muitas vezes não comento. Tu, o Dudu e o Márcio tem uma tara por comentários que uma coisa doido,kkkk.
No mais, eu sei que temos em comum a Jesus, e cada um viva de acordo com sua consciência.
Abçs

Blog do Evaldo Wolkers disse...

Olá Gresder,

Quanto à questão mitológica, Jesus não foi o único "herói" da história.

Dentro da própria história judaica temos outros como Sansão e Moisés.

Personagens que nasceram com um propósito de salvar um povo, sofrer, padecer, dar a própria vida.

Gostaria de deixar aqui dois assuntos que me deixam com uma pulga atrás da orelha.

1) Os evangelhos relatam que, em alguns casos, os pais de Jesus tomaram decisões "para que se cumprisse a profecia". Seria uma tentativa de "encaixar" o filho do carpinteiro na vaga de messias?

2) Quando Jesus fala sobre "aquele que comer a minha carne e beber o meu sangue terá vida".
No judaísmo, o sacrifício era apenas para perdão de pecados.
Freud menciona (em Moisés e o Monoteísmo) que haviam tribos em que o líder era morto por alguns que se rebelavam para tomar o lugar à frente da tribo e, estes comiam sua carne e bebiam seu sangue para receber sua "força" ou espírito, ou vida (como a questão de sangue estar relacionado à vida, acho que é em Levítico).

Jesus mesmo se coloca como líder e diz que a passagem de poder era através do seu corpo e sangue.

Neste caso, Jesus não estava falando para os judeus, pois, os judeus não agiam assim.

Então, existem diversos detalhes que mostram o fato de Jesus ter unificado todas as crenças e religiões Nele mesmo, não apenas com uma vida judaica e de sinagogas.

Fica difícil dizer se o Jesus histórico foi mais um mito ou se ele se utilizou dos mitos.

No mais, vivamos Neste Espírito de paz, alegria, sono, muito sono, bastante sono zzzzz...

Ops,

Abraços,

Evaldo Wolkers...zzzzzz...

Eduardo Medeiros disse...

Gresder e Edson, obrigado pela parte que me toca, mais o que eu já aprendi com vocês também não está no gibi!!! Por isso eu me apaixonei tanto pelos blogs: essa troca de informações, pensamentos, questionamentos para mim é muito positiva.

Evaldo, o negócio é por aí mesmo...

Gresder Sil disse...

Ednelson eu fiquei muito feliz com seu comentário pacífico, pois esperava você me fulminar assim como aquele profeta que mandou descer fogo do céu e matar os soldados rsrs.

Sinceramente eu não sei se neste caso Jesus ressuscitou ou não é impossível provar contra ou a favor e por isso o texto é ambíguo deixando uma abertura para fé no fato.

Eu mesmo só não creio muito no nascimento virginal e na ressurreição mais quanto ao resto eu creio em cada milagre seu, pois foi a sua vida única de autoridade e poder que pode produzir este impacto tão grande ao ponto de os discípulos o imortalizar.

Gresder Sil disse...

Evaldo você trouxe coisas novas que eu ainda nunca tinha pensado e confesso que estou despreparado para dialogar ou acrescentar algo sobre o assunto.

Mas a quanto ao fato de Jesus ser universal é exatamente este o propósito da desnitolofizaçao e secularização do cristianismo, pois desta forma ele é não somente dos religiosos cristão mas de todos os homens desta terra “ em ti ( Abraão) serão benditas todas as nações”

Gresder Sil disse...

Edson e Eduardo nestes últimos seis meses muita coisa se assentou meu modo de entender e confesso que estou aos poucos preenchendo as lacunas da “minha” teologia.

Agora não vem não Eduardo mandando mensagens subliminares com esta palavra: GIBI, que eu não vou ler seu blog de histórias em quadrinho rsrs.

Ednelson Rodrigo Sales Coelho disse...

Pensou que eu ia dizer tipo: "Que a mão do sinhô pese em tua vida?"kkkkk. Ta ficando doido é? Peidaram em teu cérebro?rsrs. To não mano...como o Dudu bem disse, estou aprendendo a lidar com as pessoas que pensam diferente de mim. Tenho essa dificuldade, mas estou melhorando.E com vocês tem sido um aprendizado e tanto, porque tenho que suportar ada pérola,rsrs...Tu sabes que eu não acredito em nenhuma linha do que tu escrevestes, mas é assim...a amizade é que importante, pelo menos para mim...
O Gresder, dá pra me chamar de Ed pelo amor do corococó...se não eu vou viver te chamando de Esdras,rsrs.
Abçs

Eduardo Medeiros disse...

Gresder, fica a vontade para ir no blog galeriadeherois.blogspot.com onde eu deixei um arquivo sobre os herois dos quadrinhos que é um passatempo e uma paixão que eu tenho desde adolescente. Mas os quadrinhos de hoje não tem nada de infantil pois as estórias muitas vezes são complexas e tratam de temas bem adultos.

É isso meu amigo, teologia é um processo que nunca se acaba em quem pensa e faz teologia.

Hubner Braz disse...

Gresder seu texto herético está ótimo, uahsuahsuahs.

Com essa escrita você consegue convencer até os catedráticos da existência sapiencial.

"Jesus não é um mito, mas Ele é, ao mesmo tempo, inominável e Indefinível. Mas é concebível – apesar de nossa relatividade – através de uma sonda concepcional."

Abraços Gresder.

PS: Achei otimo o post do marcinho o intrometido, rsrsrs.

Gresder Sil disse...

HUbner obrigado apesar de eu não estar a altura de entender muito bem esta frase que tem esta palavra concepcional e também não saber o que significa: sapiencial.... há alembre...i eu acho que tem a ver com sabedoria...agora concepcional deve ser alguma coisa com relação ao nascimento virginal de Jesus ou isto é de comer rsrs

Filho de Jacó disse...

Olá Gresder Sil, no meu ponto de vista sobre a ressurreição de Jesus. Não acredito que seja "Mito", pois, mais difícil de acreditar e entender é sobre os milagres de Cristo tais como: A multiplicação dos pães e peixes já prontos para serem comidos, a ressureição de Lázaro que já estava em estado de putrefação e foi ressuscitado por Cristo e outros milagres impressionantes. Sem falar nas grandes proesas feitas por intermédio de Moisés, tais como: As pragas no Egito e a passagem pelo mar vermelho. O profeta Elias também pelo poder de Deus fez grandes prodígios tais como: Fazer a terra parar para que desse a impressão que foi o sol que parou, e outros grandes prodígios feitos por outros profetas. Se não acreditarmos que Deus ressuscitou Jesus que estava morto, então não acreditaremos nos grandes milagres de Deus feitos por intermédio dos profetas. Negar a ressurreição de Cristo é o mesmo que duvidar do poder de Deus sobre a morte. Então melhor é não acreditar na Bíblia, pois, fatos muito mais admiráveis são narrados na Bíblia. Se negarmos a Ressurreição de Cristo como um caso verídico e real, então estaremos negando o Poder de Deus narrado nas Sagradas Escrituras. Querer colocar as ciências materialistas como: Psicanálise, Parapsicologia, Psiquiatria, Psicologia e outras; para explicar o Poder do Divino e nega-lo como fato real; É o mesmo que negar o Poder de Deus e negar a veracidade da Bíblia. Se dissermos que a Bíblia de hoje foi modificada e inspirada em Mitologia Grega; que a Bíblia atual já não é confiável para nos guiar no caminho da verdade. Então é melhor esquecer as Sagradas Escrituras e Negar a Salvação feita por intermédio de Jesus Cristo, pois, é as Sagradas Escrituras que testemunham sobre Cristo e a Salvação de Deus consumada em Jesus Cristo. Resumindo: Ou aceitamos a Ressurreição de Cristo como fato verídico e real ou negamos a Deus como nosso Salvador e Redentor. Abraços Gresder Sil.

Filho de Jacó disse...

O Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la de novo. Ninguém tira a minha vida; eu a dou livremente. Tenho poder de dar a vida e tenho poder de retomá-la. Esse é o mandamento que recebi do meu Pai." Jo 10.1-18. Não é difícil de entender como Jesus Cristo venceu a morte e Ressuscitou. O homem é uma Trindade aceita em várias crenças como: Corpo, Alma e Espírito. Essa Trindade do homem é conhecida também em outras crenças como: Corpo carnal, Corpo Astral e Espírito. No Espiritismo, a Trindade do homem é conhecida como: Corpo, Perispírito e Espírito. E em outras crenças essa Trindade é conhecida como: Corpo, Ego e Eu interior. No caso da Ressurreição de Jesus, acredito que aconteceu assim: O Espírito de Jesus que sendo Santo, tendo como corpo a Alma (Energia semi-matéria). Lutou para purificar a Alma e dominar os desejos e as dominações do Corpo carnal, vencendo-os. Então, esta Alma (Energia semi-matéria) já independente da vontade do Corpo carnal teve uma união mais profunda com o Corpo carnal, por ter vencido o poder deste corpo carnal (Energia Materializada), havendo uma dominação da Alma sobre o corpo, isto pela força e vontade do Espírito. O Espírito tendo vencido e purificado a Alma e o Corpo, provocou uma verdadeira fusão entre a Alma e o corpo. A Alma (Energia semi-matéria) se fundiu completamente com o Corpo (Energia materializada). Assim, já não era mais a Alma ou o Corpo que imperava, e sim o Espírito. Nesta profunda fusão entre: Corpo, Alma e Espírito; já não havia mais uma Trindade e sim, uma verdadeira Unidade. Assim como a luz branca, quando é dividida, aparece uma trindade de cores que são: Vermelho, Amarelo e Azul. Da combinação destas três cores surgem centenas de cores. Portanto, a Luz branca é uma Trindade (três em Um): Vermelho, Amarelo e Azul. Em teoria, se fosse possível unir novamente as três cores fazendo-se uma só, obteríamos a Luz branca, mas, isso não é possível. Pois unindo essas três cores, obtemos o marron. Assim aconteceu semelhantemente, mas, ao contrário da Luz branca; Jesus conseguiu Unificar a Trindade (Corpo, Alma e Espírito). O Espírito prevaleceu sobre a Alma(Energia semi-materia) e Corpo (Energia condensada ou materializada). Assim sendo, Jesus tendo vencido a morte, podia se desmaterializar ou se materializar no mesmo corpo que havia sido crucificado. Jesus, após a sua ressurreição, ficou alguns dias com seus discípulos; vivendo e comendo como um homem normal no mesmo corpo que já estava glorificado. Depois, subiu aos céus com o seu próprio corpo carnal diante de vários dicípulos. Enquanto subia em direção ao céu, quando já estava longe dos olhos dos dicípulos; ele foi se desmaterializando (passando a ser energia pura) até entrar no Reino dos Céus. Cristo podia antes, se desmaterializar e entrar no Reino dos Céus; mas, preferiu subir antes com o corpo carnal para que possamos Crêr na Ressurreição da Carne e na Vida Eterna.

Filho de Jacó disse...

É bom lembrar que Jesus Cristo pelo poder de Deus ressuscitou à Lázaro que já estava morto a quatro dias, e o corpo de Lázaro já estava em estado de decomposição, cheirando mal. Neste caso, houve a Ressurreição da Carne em Lázaro, pois, ele ressuscitou com o corpo em ótimo estado. Se houve Ressurreição da Carne quando Lázaro foi ressuscitado por Jesus, porquê duvidar da Ressurreição de Jeus Cristo? Seria essa passagem bíblica falsa? Acredito que não, porque se fosse falsa, como saber o que é verdadeiro ou falso na Bíblia? Éis o relato da Ressurreição de Lázaro: Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias. Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus? Tiraram, pois, a pedra de onde o defunto jazia. E Jesus, levantando os olhos para cima, disse: Pai, graças te dou, por me haveres ouvido. Eu bem sei que sempre me ouves, mas eu disse isto por causa da multidão que está em redor, para que creiam que tu me enviaste. E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir. (João 11, 39 à 44). Portanto, negar a Ressurreição de Cristo, é negar os Milagres e sinais feitos por ele. Se negarmos também que Cristo subiu aos céus com o corpo carnal glorificado; então teremos que aceitar que o profeta Elias não foi transladado aos céus com vida num carro de fogo. Será essa passagem bíblica tambem falsa? Se negarmos as tantas maravilhas relatadas nas Sagradas Escrituras, é melhor esquecer a Bíblia e seguir as vãs Filosofias dos homens.

Filho de Jacó disse...

1 Coríntios 15:14-17 “E, se Cristo não foi ressuscitado, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não são ressuscitados. Porque, se os mortos não são ressuscitados, também Cristo não foi ressuscitado. E, se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda estais nos vossos pecados.”

Postar um comentário

.
“todo ponto de vista é à vista de
um ponto, nos sempre vemos de um
ponto, somente Deus tem todos os
pontos de vista e tem a vista de
todos os pontos.”
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...