sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Uma costela



Três dias e duas noites de caminhada extenuante. As sandálias de Adão se arrebentam; Eva tropeça e cai, ficando para trás sem que ele a perceba.

O deserto após o paraíso é semi-árido; o chão é duro como pedra. Adão sente seu vigor físico se exaurir. Sobre seus ombros pesa mais a responsabilidade de ser o autor de um ato de desobediência que desencadeara para toda a humanidade uma vida de miséria física e moral e a alienação com o Criador, do que o peso de Caim e Abel amarrado sobre suas costas.

Gritos de crianças desesperadas ao pé do ouvido despertam Adão do seu entorpecimento mental, produzido por uma culpa dilacerante e por um sol causticante. Adão volta vinte passos; Eva está lúcida. Mas não tem forças para se levantar; o sangue esfria e todo peso de uma fadiga redobrada cai sobre seu corpo com o pessimismo que um cansaço extremo produz. Por hoje Eva já não conseguira mais andar. Instintivamente Adão solta os meninos no chão e pega sua fêmea sobre seus braços.

Horas depois, Eva acorda ao lado de seu marido, que conseguiu alcançar antes que a noite caísse, uma arvore frondosa para repousar. Mesmo tendo apenas cochilado nas noites anteriores, Adão não consegue serrar os olhos. Pois, por ironia da natureza, uma dor de cabeça por falta de sono impediu-o de dormir.

Ate esse momento Adão ainda não tinha reparado em Eva. E todo o seu cuidado com os filhotes e sua mãe era impulso irrefletido de pai de família. A sua preocupação era existencial, não como individuo, mas como progenitor da raça humana.

Ao despertar e olhar o semblante abatido do seu homem, os temores e aflição de Eva voltam novamente. Ela não pondera assim como ele, nas conseqüências desastrosas que o ato do casal produzira em toda a sua descendência, e muito menos na sua condição física, higiênica e pessoal lastimável, mas unicamente na vida integral da pessoa que era seu companheiro por imposição divina e sentimentos ternos e humanos. O bem estar do seu esposo era o que realmente importava para ela naquele momento.

Há quase dois dias eles não trocam palavras. A comunicação básica era visual. Tirando sua roupa e a dele, ela se põe sobre ele. As suas mãos, agora descuidadas e ásperas, mas ainda delicadas, massageiam os músculos tensos do corpo exausto e desidratado de Adão.

Na medida em que ia relaxando o seu espírito desesperado se acalmava. E só então ele começa a perceber que caminhava ao seu lado e agora diante dele, uma mulher maravilhosa e uma companheira imprescindível.

Que contraste! Ele, macho em todo tempo, reflexão profunda, decisão objetiva, passo e mente pesada, enfim preto e branco. Ela colorida em todo o seu esplendor de sensibilidade, carinho, leveza e multiplicidade de interesses supérfluos que encantam e enche á vida do ser humano.

Deitados as suas mãos meigas percorrem o corpo de Adão, e suavemente sobem ao seu pescoço, e com um sorriso de ternura ela encontra nos olhos fundos daquele homem, um olhar que a contempla em toda a sua flor de feminilidade e doçura. Eva estava suja, mal cheirosa e despenteada; mas por ser notada irradiava em seu semblante uma alegria que tornava sua beleza insuperável.

Os seus membros se tocam os seus espíritos se encontrão. Adão se excita, e pelas circunstâncias se envergonha também. Eva sorri maliciosamente. Estando ela por cima, pela primeira vez, ela faz todo o “serviço” sozinha.

Findo um ato sublime de amor e de desejo, Adão vira Eva por baixo de si, e naquele momento amando-a profundamente quebra o silencio respeitoso e solene que se prolongava entre eles:

- Eva o meu ato de desobediência no paraíso, foi uma atitude de fidelidade a você. Eu estava consciente e poderia ter recusado o fruto de suas mãos, esperando que Deus criasse para mim outro ser, enquanto você se perdia. Mas o que seria a outra, se você é mulher no seu sentido mais plena, e feminina na sua acepção absoluta.

- deve Deus já ter feito e inventará, pois nunca deixara de ser Criador, mundos universos e reinos incomensuráveis e monumentais, para muito além de nos e de nosso entendimento. E tudo o que Ele faz é repleto de poesia, graça e significados inexauríveis; e em você minha flor do Éden, Ele imprimiu partes da essência encantadora do seu Ser. Mulher! Toda a sua beleza, sensibilidade e brandura emanam dos atributos e da riqueza de sentidos do amor e da alegria que existem no ser de Deus.

- nenhuma outra mulher poderia fazer esvanecer-se a sua imagem de minha alma. Indubitavelmente por ser a primeira você é a mais linda e surpreendente de todas as mulheres que virão. Sem você seria horrível, alem de só eu não me sentiria homem. Seria como se me carecesse alguma coisa. Sinto que algo me faleceria bem aqui dentro de mim. Enfim seria como se faltasse algo tão entranhado em mim, como... Sei Lá!... Uma costela, por exemplo!

Gresder Sil

16 comentários:

Gresder Sil disse...

Desculpe a ausência da blogfera pois Marinet me abandonou de vez, e nem a Lan ou a Rose querem me receber.

Desfrutem do texto, sintam as sua camadas subjectivas das mensagens que são muitas, e não venha empobrecer o dialogo com coisas tão insignificantes como a questao da literalidade ou ficsao do Edem e seus personagens.

A tanta mensagem inconciete neste texto que jamais o bosta do Nureda Medeiros rsrsrs iria decifrar, mas como ele é um ser contraditorio, quem sabe ele pode descer ao menos o primeiro nível, de um texto tão profundo cuja beleza literasria é apenas a sua superfície.

Mas creio que o Esdras e o Marchiello apareceram por aqui para me ajudar a descodificar o texto, cada um com forme a sua perspectiva materialista e monista.

Levi Bronzeado disse...

Belo poema épico (à la Milton John) rsrsrs


Bravo! Principalmente por esse trecho:


" Eva o meu ato de desobediência no paraíso, foi uma atitude de fidelidade a você. Eu estava consciente e poderia ter recusado o fruto de suas mãos, esperando que Deus criasse para mim outro ser, enquanto você se perdia. Mas o que seria a outra, se você é mulher no seu sentido mais plena, e feminina na sua acepção absoluta".


Sem sombra de dúvida, Adão poderia ter abandonado Eva a sua própria sorte, mas para praticar o maior ato de AMOR da história da humanidade, não deixou a sua amada só, e possuído de um amor divinal e carnal, resolveu junto com ela abandonar o “insuportável e insosso paraíso edênico”, para existir como Homem - responsável pelos seus atos, mesmo sabendo que a culpa por ter desobedecido ao seu Superego o iria atormentar por toda a vida

(e foi então inaugurado o "existencialismo").


Abçs,

Levi B. Santos

PENSADOR COMPULSIVO disse...

Gresder...acompanho sempre seu blog...mas hj fiquei vislumbrado pelo lindo texto poetico e inspirador.

Parabéns.

Olavo

Jair dos Santos disse...

Gresdão meu véio, passei por aqui e a principio me apaixonei pelo seu texto; Agora tenho que ir trabalhar, o que me impede de fazer um comentario a altura da sua arte. Em breve eu volto.

Abraços.

Eduardo Medeiros disse...

Dos céus, Iaweh observava seus filhos errantes, obras das suas mãos e pungía-lhe o coração pela separação tão brusca e repentina. Tanto quisera tê-los sempre ao seu lado no jardim e desfrutar da sua presença e comunhão face a face.

O tempo de convívio fora tão pouco, e tanto Ele ainda tinha a compartilhar com o Terroso, filho das suas mãos e da sua vontade.

"Por que filhos? Por que tão cedo tomastes a decisão que Eu sabia inevitável mas que não esperava pra já?"

No entanto, Iahweh percebera que o desfecho da estória não poderia ser outro. Sabia que não poderia prender seus filhos sempre na dimensão da inocência, protegidos do bem e do mal, mas também protegidos do conhecimento e da independência.

Sabia Iahweh que nem mesmo Ele poderia negar ao Terroso e à sua mulher, a plenitude que Ele mesmo possuia. O Terroso, filho das suas mãos e da sua vontade, só seria de fato plenamente imagem e semelhança Sua, quando pudesse independentemente, conhecedor agora do bem e do mal, escolher por si próprio, qual o melhor caminho a seguir.

Marcio Alves disse...

Caro senhor Nureda

Posto de novo aqui o que eu postei lá na nossa sala do pensamento:

Em um concílio aqui em Sampa, com alguns integrantes da “confraria dos pensadores fora da gaiola”, chegamos a conclusão de que você não é você um de nós, mas você é somente você de você mesmo.

Não importando se de fato seja uma personagem fictício, ou verdadeiro.
Nós; Gresder, Edson e Marcio, pedimos-lhe desculpas se, em dado momento lhe ofendemos, pois pensamos ser você um de nós. Desta forma, como podes observar, gostamos muito de brincar de “xingar” o outro um de nós.

NureTa Somu, seja bem vindo em nome de todos da “confraria dos pensadores fora da gaiola”.

Fique a vontade para comentar discordando ou concordando conosco, pois queremos enriquecer as nossas “salas dos pensamentos” com sua capacidade e potencialidade de argumentação analítica literária.

Lembrando que, o que realmente importa para nós todos, é a essencialidade do texto, não sua forma de escrita. O importante não é a forma de pensar corretamente, mas antes a de se viver vivendo uma vida vivida com vida abundante.

Desde já, lhe esclareço que todos nós, gostamos muito de brincar – como já podes observar – então se prepare, pois a nossa teologia de nós mesmos é de rua mesmo, sendo feita no nosso chão da existência, e melhor ainda, de maneira descontraída, fazendo amigos, que no final, é o que verdadeiramente importa.

Portanto, se prepare, pois o nosso dialeto é informal, sendo uma “bagunça” teológica, onde trocamos idéias serias e responsáveis ao mesmo tempo em que nos divertimos, com nossas “brigas” e “discussões” saudáveis e espontâneas.

Em outras palavras, prepare-se, pois você já faz parte mesmo que seja de maneira inconsciente, mas concreta das nossas discussões, então não ligue se em algum momento pegarmos pesado com você, pois todo peso é leve e divertido, não constituindo uma agressão, mas trocas de “elogios”.

A não ser que Nureda somus nós mesmos ou nós mesmos somus Nureda Somu mesmo, mesmo não sendo somu nós, se sendo somente Nureda somu tu mesmo.

De Gresder, Edson e Marcio.

Abraços

Eduardo Medeiros disse...

Ô Trindade divina é o seguinte: O Neruda não conhece teologia, segundo ele mesmo disse, o negócio dele é achar erros de português nos vossos escritos.

Se vocês estão se desculpando, tudo bem, eu também me incluo, mas o Neruda também tem que pedir desculpas:

1 - pelo modo grosseiro, antipático e atitude de nariz empinado com o qual ele chegou por aqui;

2 - ele disse que não tem vontade de fazer parte de nenhuma Confraria, "brincadeira de menino" para ele.

Então, que ele baixe a bola, pois amizade se inicia com respeito, e depois, se você conseguir construir uma amizade real (o que eu não creio que ele deseje), aí você pode chamar o amigo de "bosta", de "retardado", etc, como fazemos de vez em quando, mas que todo mundo sabe que é xingamento de mentirinha, pois no fundo, a amizade que nós construímos ainda que à distância, é muito legal, e cada um aqui respeita o outro e aprende com o outro.

Com a palavra, o Neruda.

Ô seus teologozinhos de rua não asfaltada da periferia dos cafundó do judas reunidos na casa do Marcinho-comentador-compulsivo-obsessivo...

...Graça e paz a todos vocês.

Esdras Gregorio disse...

É incrível Gresder Sil como os seus leitores fogem de proposta tão simples que é descobrir o sentido oculto do texto, como se isso fosse impossível de se saber por outras pessoas que não sejam o próprio autor. Mas tal entendimento me parece ser culpa deste sujeito enigmático e contraditório do Nureda.

Portanto eu vou lhes mostrar que um terceiro pode encontrar a mensagem incomnciete deste texto, assim contradizendo o Sr Nureda tanto quanto DESAFIANDO ele a me provar que a analise que eu faço é muito difícil de ser entendida por outra pessoa que não estudou o autor.

Notem o texto, existe ritmo, poesia beleza intensidade e sensibilidade de poeta e artista, mais do que isso existe inspiração, e toda inspiração vem para o autor por influencia de um sentimento ou sensações e experiências marcantes na vida do escritor.

Aqui o escritor escreve apaixonado, mas mais do que isso ele projeta na personagem de Eva a sua idealização de amor. Porque Eva. porque não veio outra personagem histórica ou fictícia que não seja a Eva.

Eva é a mulher perfeita, nunca foi criança, nunca envelhece, nunca mede seu homem com outros homens, nunca espera ou tem ilusão de que o homem seja outra coisa a não ser um homem. Eva não carrega traumas de infância, Eva é imortal não tem neuras por medo de envelhecer.

Eva não busca projeta sobre o homem o que ele não pode ser, mas aceita o homem com toda sua profundidade e adjetivos masculinos negativos. Eva é sempre adulta, nunca inicia ou perde a sua sexualidade, Eva é primeira mulher, a mais linda, a mais g ops! formosa. A mulher ideal do mundo perfeito das idéias, a mulher dos sonhos inconscientes de cada homem, mas Eva não existe nunca existiu a não ser na cabeça de Platão

Gresder Sil disse...

Isso estava fácil Esdras, mas existem coisas neste texto que jamais ninguém poderia descobrir. Sim! Você esta certo em eu ter escrito isso apaixonado, ate mesmo o Jair que é um homem simples descobriu

Mas deixa-me eu contar às circunstâncias que levaram eu transmitir uma mensagem sem saber o que estava dizendo inconscientemente. Esse texto eu escrevi há dois anos quando me apaixonei por uma mulher muito mais velha do que eu, e a principio a minha única intenção era escrever uma historia de amor para ela, mas sem querer eu disse uma coisa que eu não sabia como dizer em palavras e nem mesmo sabia que eu precisava dizer isso para ela.

Pois se você perceber Eva é quem faz acontecer às coisas no momento de extrema preocupação de Adão. Pois nesta relação eu me sentia muito cobrado por ser mais jovem, a ser mais ativo, mas acontece que eu estava numa fase de tensões morais e psicológicas que me esgotaram por ser minha relação inaceitável para minha querida mãe que muito sofreu, e com esse texto eu sem querer estava dizendo que era ela que deveria me excitar e me deixar calmo para termos uma relação normal, e não eu, exatamente como eu descrevi no texto. Isso foi à coisa mais fenomenal na minha escrita ate Hoje.

Tanto é que ela inconscientemente não gostou do texto, mas adorava as outras coisas que eu escrevia para ela, resultado, véspera do dia das mães, eu dormi na casa dela, mas preocupado, pois não avia nada que eu poderia dar para minha mãe de presente que pudesse trazer sua alegria, e como eu tinha broxado aquela noite eu pensei que nem aquela mulher me merecia naquele estado e nem a minha mãe merecia sofrer, e por isso resolvi dar para ela de presente a noticia que eu tinha largado da minha namorada. Mas a próxima eu não perdoou, pois eu sou fascinado por Evas rsrsrs.

Jair dos Santos disse...

Percebo mas entrelinhas um homem apaixonado

Homem tosco, pedra bruta que precisa ser lapidado

Não resista não rejeite, você ja foi fisgado

Breve muito breve, virá ela

A tua costela

Pro teu peito sossegar

Não é bom que o homem viva só.

Eduardo Medeiros disse...

Gresder, eu realmente tinha visto essa veia apaixonada que você tinha ao escrever o seu belo texto, mas eu não resisti em completá-lo com a minha ideia da independência humana em relação a deus.

Muito legal a sua confissão. Sincera e sem falsos moralismos.

Te admiro muito seu moleque genial.

Paulinha disse...

Querido Gresder,

Lindo texto. Achei perfeita a sua ideologia de narrar uma linda hitória de amor, onde mistura-se amor e desejo.

É no exemplo de Adão e Eva, que vemos a incondicionalidade do amor, e a necessidade que cada um nós temos de uma "alma gêmea" ao nosso lado, nos confortando e alegrando os nossos corações.

Pois:

"Ficar sem você é andar sem direção, me mostre o caminho me de sua mão, estou sozinho nessa escuridão." ( Maycon Campos )

A vida é uma escuridão...e caminhamos sozinho em meio à ela. Se não tem amigos, se não tem as pessoas que tanto amamos ... Não temos coragem para caminhar na escuridão, nós tememos....pois não sabemos em que ponto exatamente podemos chegar, porque não conseguimos ver, não conseguimos enxergar.
Mas se as encontramos, se seguramos nas mãos das pessoas que confiamos, adquirimos coragem, e de mãos dadas conseguimos caminhar, caminhamos horas ali naquela escuridão, mas não paramos...não desistimos, pois estamos acompanhados. E sabemos, que lá na frente, encontraremos a "luz".
E quando vemos a luz, temos a certeza da importância de poder contar com alguém, ouvir a voz de alguém que tanto amamos....e saber que ela está ali, aonde quer que for, ela estará ali de prontidão a nos ajudar...

Assim são vocês...amigos, que a cada dia mais estou conquistando....

E sei, que em meio à escuridão, ainda tenho a certeza de que vocês são a minha luz.

Beijos no coração de vocês.

Gresder, Parabéns...este texto tocou o meu coração.

Gresder Sil disse...

Levi como você esta sendo Severo rsrs comigo em revelar minha fonte de influência. Pois como disse aquela vez para você, eu apenas li algumas parte do livro do Jon Milton, mas foram exatamente aquelas em que Adão por amor não deixa Eva sozinha.

Pensador Compulsivo obrigado por sua visita e pelos elogios, como você acompanha meu blog não seria você o tal do Nureda a qual ágüem falsamente se revelou como Alexandre lá no blog dos meninos.

Jair você esta muito inspirado esse dias, pois esta metralhando poemas e rimas para todos os lados, vamos ser atropelado por esse seu grande coração de poeta.

Eduardo nosso comandante, obrigado pelas palavras. Estava pensando que talvez o homem não seja terroso ou terreno, mas extraterreno que apenas abita em sonho esse planeta, pois nossa essência esta dormindo no ceio de nosso Pai.

Paulinha esse texto foi escrito numa situação particular, mas é universal todos podem ler como se para ele estivesse sido escrito. Obrigado.

Marthielo Odorito disse...

Santo Dios! Como esse Esdras vê apenas o que esta diante dos seus olhos.

A mensagem que perpassa todo o texto não fala da ânsia de um homem por uma mulher. Mas do desejo dos opostos em se unir e completar em síntese.

A aqui vai muito além da simples idealização de um homem, pois todo o texto subjetivamente mostra as diferenças se desejando e se juntando uma com a outra.

Tratasse da verdade absoluta da existência em que os opostos se atraem e não conseguem ser completos se não estiverem juntos.

É o divino em busca do humano, é o homem desejando a Deus, é o finito desejando alçar asas ao infinito. É o espírito querendo permear a matéria. É corpo desejando ser alma. É a vida que caminha de encontro à morte, é a morte trazendo outra vida. É o imperfeito ansiando o absoluto, é a essência se derramando na existência.

Tudo tem seu oposto e não da para ser completo um sem o outro, vejam que homem deseja a mulher justamente por ser ela um ser diferente dele, não existe igualdade, mas distinções claras e definidas. Pois cada ser busca no outro o que ele não é, o que lhe falta, para se tornar uma só coisa. Assim é o divino que só se completa no humano, assim é a alma que só faz sentido no corpo, e assim é a vida que só tem significado pela morte.

Vejam que ate mesmo os casais homossexuais são diferentes entre si, sempre um será mais passivo, gentil e sentimental, pois só assim a convivência seria possível, pois dois absolutos iguais não são felizes. Não se suportam um ao outro. Só a síntese de opostos dá sentido feliz à existência das coisas no mundo.

Jair dos Santos disse...

Gresder permita-me:

A pedido do verdadeiro Nureda; Segue o comentario que fez no meu Blog:

Jair dos Santos, ou deveria chamá-lo de furacão?

Jair, houve um propósito para eu o verdadeiro Nureda, iniciar esta despedida justamente contigo.

Estou saindo do meio de vocês, pessoas tão magníficas, pois minha missão, acredito, já fora cumprida.

Peço-lhe Jair dos Santos:

Não desista de escrever seus poemas, pois embora eu nos os comente mais, sempre estarei lendo-os.

Não deixe o Esdras se perder em seus pensamentos tão "subjetivos",pois aquele garoto ainda será um grande escritor. Eu ficarei orgulhoso de vê-lo dando autógrafos no lançamento de um de seus livros, talvez ele até assine um pra mim, mas não saberá que sou eu.

Busque mais almas para essa CONFRARIA Jair! Não deixe que eles se dispercem, não permita que se agridam, não tolere que não se amem.

Vou para outras salas tentar dar continuidade à minha missão. Talvez não encontre o amor que encontrei nesta, mas vale à pena tentar.

Adeus Jair!

Copie este comentário e passe aos outros confraternos, pois não mais voltarei.

Ass. Noreda Somu Tossam

Levi Bronzeado disse...

Gresder meu amigo

Leia agora no meu blog, uma metafórica despedida que Noreda fez para vocês todos.

Eu, mui gentilmente, cedi o espaço do meu blog para que ele deixasse registrada a essência do seu ser, num personagem histórico de renome como foi o Buber.

Para encabeçar o texto, ele me enviou essa foto, que disse ser a cara dele e a do Marcio.

Depois partiu sem me dizer nada. Nem um adeus...

Olhando mais a vagar o texto, eu até me emocionei.

E VOCÊS???

Postar um comentário

.
“todo ponto de vista é à vista de
um ponto, nos sempre vemos de um
ponto, somente Deus tem todos os
pontos de vista e tem a vista de
todos os pontos.”
.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...